Escola Mirim Doce recebe premiação estadual

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

EEB Bruno Heidrich de Mirim Doce recebe premiação por trabalho que promove o combate ao Aedes aegypti

O secretário executivo da ADR Taió, Jardel Fronza e o gerente de Educação, Moacir de Melo, acompanharam nesta segunda-feira, 23, em Florianópolis, a entrega do Prêmio Educação e Saúde: I Concurso Escola Promotora de Saúde – Todos Contra o Aedes aegypti. O projeto da EEB Bruno Heidrich, de Mirim Doce, Aedes aegypti? Aqui Não!, foi premiado como produto de comunicação social, na categoria impresso.

Elaborado pelas alunas Joana Giradi da Silva, Cintia Cristina Ignaczuk, Marcela Hellen Mundt, Sabrina Simas Schlichting e Pâmela Cristina Mauricio Machado, o projeto teve a orientação das professoras Neide Altino de França e Jessica Mayla Borghezan. Os alunos e professores receberam um tablet e o título de promotores de saúde.

O secretário Jardel Fronza parabenizou a escola, alunos e professores pela premiação e disse que com essa iniciativa, os alunos promoveram o conhecimento sobre prevenção e combate ao mosquito. “Parabéns a todos os envolvidos, principalmente os alunos, que atuaram como multiplicadores do conhecimento em suas famílias e na comunidade”.

Para o gerente Moacir de Melo, foi uma honra ter um trabalho vencedor em um concurso estadual. “O projeto elaborado pelos alunos e professores utiliza alternativas que promovem a proteção do meio ambiente e a saúde da população. Pela sua relevância, teve o reconhecimento em nível estadual”, comemorou.

A professora orientadora da EEB Bruno Heidrich, Neide Altino de França, destacou que o trabalho envolveu e contou com o apoio de todo o município. “Valeu a pena todo esforço e trabalho desenvolvido. Os alunos se envolveram e estão cientes do quanto é importante os cuidados com a não proliferação do mosquito”.

O Prêmio foi entregue na Fiesc pelos secretários de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, e o adjunto da Saúde, Murillo Capella. O objetivo foi promover a reflexão e a construção de conhecimentos acerca da prevenção e do combate ao mosquito Aedes aegypti, da febre de chikungunya e da febre do zika vírus, articulando a temática da educação ambiental e da saúde.

I Concurso Escola Promotora de Saúde – Todos Contra o Aedes aegypti

Cerca de 50 mil alunos e mais de 2,6 mil professores estiveram envolvidos no concurso, em escolas de 31 Gerências Regionais de Educação (Gered). Na ocasião, também foram homenageados os representantes de Santa Catarina selecionados pelo MEC para receber o Prêmio Professores do Brasil.

Após passarem pela etapa regional, 71 trabalhos chegaram para a classificação da etapa estadual nas três categorias: trabalho pedagógico, produto de comunicação social impresso e produto de comunicação social audiovisual. Desses saíram os nove finalistas.

Durante a avaliação final dos trabalhos sete profissionais julgadores das pastas da Saúde e Educação classificaram os trabalhos de acordo com critérios que variaram desde o impacto visual, até o nível de reflexão e discussão sobre mudanças de atitudes e práticas ambientais que foram promovidas pelos profissionais da educação no ambiente da comunidade escolar, em parceria com outras áreas do entorno da escola.

Comentários