Alto Vale pode ganhar “Usina de Asfalto”

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Moradores dos 28 municípios que compõem a AMAVI passarão a ser beneficiados por pavimentações urbanas mais frequentes, feitas com rapidez e com custo bem menor. A boa notícia vem de Brasília, onde o senador Dário Berger e o deputado federal Rogério Peninha Mendonça, ambos do PMDB, articulam a instalação de uma usina de asfalto para atender à Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí. A obra tem custo estimado em R$ 5 milhões.

“A maioria dos prefeitos que me visita pede recursos para pavimentar ruas. O Brasil tem um grave problema de infraestrutura, sobretudo nos pequenos municípios. Levar uma usina como essa para a região significa um avanço muito grande, porque na prática vai acabar com o drama da lama e da poeira para milhares de pessoas”, justifica o deputado Peninha. Ainda, de acordo com o parlamentar, a implantação da usina deverá reduzir substancialmente o gasto dos municípios com pavimentação: “Vai ser possível fazer mais, usando menos recursos públicos. Com a fabricação do asfalto na ‘porta de casa’, o custo deve cair quase pela metade”. A unidade será administrada pelo Consórcio Intermunicipal Multifinalitário, o CIM- AMAVI.

Em evidência no Congresso Nacional, o senador Dário Berger admite que o posto galgado por ele na Comissão Mista de Orçamento é uma excelente oportunidade para corrigir injustiças. “Santa Catarina é um dos Estados que mais contribuem com tributos, mas recebe migalhas de volta. Como presidente da CMO, tenho procurado atender, dentro das minhas possibilidades, às justas reivindicações que me chegam”, explica.

Peninha não esconde que tem aproveitado a situação privilegiada de Santa Catarina no cenário político, para levar investimentos à região que ele representa: “Pela primeira vez na história, temos um catarinense na presidência da Comissão de Orçamento. É esta a comissão que desenha todo o plano de gastos do governo para o ano que vem. Cada aumento na fatia destinada às nossas cidades, certamente faz muita diferença lá na ponta”.

Municípios do Sul querem utilizar Fundam 2

Um grupo e prefeitos, comandado pelo presidente da Amurel e prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), pretende instalar uma Uisna de asfalto para atender os 18 municípios associados. A Amurel já criou o Consórcio Intermunicipal Multifinalitário, o que facilitará a implantação do empreendimento.

A intenção dos prefeitos é que os recursos necessários para a implantação venham do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam) 2, prestes a ser liberado pelo Estado. Ele depende de ajustes finais junto ao Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), órgão responsável pela liberação dos recursos.

Economia

Segundo especialistas em usinagem de asfalto, a previsão de custo de produção de 65 toneladas de asfalto por hora sairia por cerca de R$ 182,51, sendo que hoje a venda está em torno de R$ 300. O resultado seria de R$ 117,49 de economia por tonelada, com lucro de R$ 7.636,64 por hora e R$ 9.023.232 por ano. Este modelo de asfaltamento é pioneiro no município de pinhalzinho, um dos poucos no Estado que já possui usina de asfalto própria. Lá, é administrada pelo Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Infraestrutura Rodoviária (Cidir). A cidade recebe constantemente comitivas de outros municípios que buscam conhecer o funcionamento da empresa que gera qualidade e economia aos contribuintes da região Oeste.

Comentários