DEIC recolhe provas escritas para o concurso da PM de SC

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE O CONCURSO DA PMSC

Tendo em vista a circulação de publicações referentes ao Concurso para Oficiais da Policia Militar do Estado de Santa Catarina, o Instituto o Barriga Verde esclarece que por força contratual, a manifestação deste caso será feita exclusivamente pela própria Polícia e seus órgãos. Manifesta-se também pela estreita colaboração para apurar todas as dúvidas e questionamentos, que ao final, provarão a lisura e correção do certame que momentaneamente suspenso, será dado continuidade em breve.

REPORTAGEM

A PC deflagrou, na manhã de hoje,  uma operação em Taió, Florianópolis, Porto Belo e Itapema. No total, 11 mandados de busca e apreensão foram cumpridos por 30 Policiais Civis e são frutos de um Inquérito Policial instaurado na DEIC com base no encaminhamento de requisição pelo MPSC.

Em Taió, foram recolhidas, todas as provas escritas, aplicadas para o concurso da Policia Militar de Santa Catarina. Alem das provas escritas, também foram dois computadores para perícia.

O material, segundo apuração inicial, se refere ao concurso da Polícia Militar de SC, que foi suspenso. A PM resolveu anular a segunda fase do concurso público para seleção de candidatos para o Curso de Formação de Oficiais, após recomendação feita pelo Ministério Público de Santa Catarina.

O caso chamou atenção devido a insistência do MP em n’ao aceitar a forma de contratação da empresa, desde o início, mas a PM manteve o contrato em vigor, acompanhando todas as etapas.

O MPSC, então, se baseou em uma denúncia de que houve vazamento do tema da prova de redação antes da aplicação do exame, que teria ocorrido em outra cidade.

Alem das investigações da Policia Militar, e do Ministério público, um grupo de candidatos resolveu fazer uma investigação paralela, pois pretendia manter o concurso em andamento.
A segunda fase da prova será refeita, com a redação e inclusive as objetivas,, onde não ocorreu vazamento. . mas a PM, não definiu a nova data. Também será publicado novo edital definindo a forma de devolução do valor da taxa de inscrição do concurso aos candidatos que não querem continuar o concurso.

As provas objetivas e dissertativas e a redação foram realizadas nos dias 27 de agosto e 3 de setembro, respectivamente. De acordo com a Promotoria de Justiça, no mês de julho, logo após o lançamento do edital do concurso, o tema da redação foi divulgado por meio de WhatsApp para alguns candidatos.

O IOBV alegou que somente tomou conhecimento do tema da redação no final de agosto, pouco dias antes da realização da prova, quando o material começou a ser impresso. O Instituto comunicou que vem colaborando com as investigações e cumpriu todos os procedimentos recomendados pelo MPSC e PMSC.

A PM publicou novo edital no dia 15/12, anulando a segunda fase e informando os procedimentos posteriores. Além do inquérito civil que apura o vazamento das informações e o possível ato de improbidade administrativa, a 12ª Promotoria de Justiça instaurou um procedimento de investigação criminal a fim de apurar a origem do vazamento, para a consequente responsabilização criminal.

O IOBV disse através de deu departamento jurídico que até o momento não obteve acesso as provas que o MP está alegando possuir e caso se confirme o vazamento, irá processar e pedir indenização do seu autor.

Comentários