Crianças mortas em ritual satânico são argentinas

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Os dois corpos de crianças, encontrados esquartejados em Novo Hamburgo, em setembro de 2017, foi apenas o começo de uma história macabra. O resultado de um exame de DNA apontou que os restos mortais das duas crianças, eram filhas de pais diferentes e que uma das vítimas estava alcoolizada, o que levou a polícia suspeitar de um ritual.

A ausência de notificações de desaparecimento das crianças fez a polícia desconfiar que as vítimas não seriam do Rio Grande do Sul. Agora, a Polícia Civil Gaúcha informou que as crianças  podem ser argentinas. Batizada de Operação Revelação, a investigação tem como principal hipótese que os irmãos, cujos corpos foram localizados em um terreno baldio, tenham sido usados em um ritual satânico.

Segundo reportagem do Zero Hora, como o DNA da menina, que tem de 10 a 12 anos, e do menino, de oito a 10 anos de idade, não foram localizados nos bancos de dados brasileiros, a polícia já desconfiava que pudessem ser estrangeiros. Com a identificação dos suspeitos, o delegado Moacir Fermino, coordenador da investigação, chegou a um homem nascido na Argentina.

Na semana passada, três pessoas foram presas. Entre elas, está o suposto líder do grupo, identificado como “mestre e bruxo”. Conforme o delegado, que prefere preservar o nome do suspeito para não atrapalhar as investigações, o preso é uma referência no país e na América Latina em termos de magia negra.

CRÉDITO FOTO: Félix Zucco / Agencia RBS

Ele seria adorador do deus Moloch, nome de um demônio na tradição cristã e cabalística, cujos fiéis, desde a Antiguidade, realizam sacrifícios com crianças. Uma das imagens que representam Moloch mostra um deus com chifres que recebe um recém-nascido em seus braços, tendo diversas pessoas o reverenciando ao redor.

O investigador confirmou que o ritual em que os corpos dos irmãos foram usados foi contratado por pessoas em busca de “prosperidade imobiliária” e que, por isso, haviam pago uma “grande quantia de dinheiro”, sem revelar valores.

Outros supostos envolvidos ainda são procurados, por isso os detalhes da investigação ainda estão sob sigilo. A divulgação dos resultados e de todas as características do caso é prometida para a próxima semana.

A casa onde fica o templo do bruxo preso pela polícia e onde supostamente teria ocorrido o ritual em que as crianças foram sacrificadas fica em uma estrada erma de chão batido na Região Metropolitana — a cidade é mantida em sigilo para preservar as investigações.

Com poucas moradias no entorno, a residência pintada de laranja é cercada por mato. À frente, um portão preto exibe um pentagrama, uma estrela composta por cinco retas e cinco pontas, que possui diversos significados, desde mitológico, matemático e até na magia.

Revelação: o significado do nome da operação

Os investigadores de Novo Hamburgo deram o nome de Revelação à operação que investiga o esquartejamento de duas crianças, cujos corpos foram encontrados em setembro na Lomba Grande.

As “revelações”, explica o delegado Moacir Fermino, acontecem quando Deus Se comunica com Seus filhos. Os fiéis acreditam que quando o Senhor revela Sua vontade, Ele fala por intermédio de profetas. Fermino acredita que a verdade sobre o caso foi “revelada” a ele e aos policiais, por isso o nome da operação.

 

Comentários