Taioense se candidata ao Parlamento Italiano

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A Itália é um dos únicos países que possuem deputados e senadores, eleitos em diferentes partes do mundo. Para a constituição italiana, essa é uma forma de garantir a representatividade dos italianos que vivem no exterior. Por estar ligada aos grupos de descendentes italiano, a taioense, Simone Sehnem, 35 anos, que também possui dupla cidadania, aceitou disputar uma vaga de deputada Italiana pelo Movimento Passione Itália. Se eleita, vai ocupar uma das quatro cadeiras no Parlamento italiano pela Circunscrição do Exterior América Meridional, e vai precisar se mudar de Taió e residir na Itália.

Para disputar o pleito, ela conta que precisou se filiar num partido. “Fui convidada e aceitei. A filiação é igual ao Brasil. Porém, ao contrário do Brasil, a Itália não tem presidente, mas um primeiro ministro, que necessita da aprovação do parlamento para governar”, disse.

As eleições acontecem em março deste ano e pode votar todos os descendentes que possui cidadania italiana. Só no Consulado de Curitiba, que abrange os estados do Sul, são 7 mil eleitores. “Quem tem dupla cidadania é apto a votar e deve estar na lista de eleitores do consulado”, disse Simone.

Mas ela pode receber votos de Italianos de todos os países da América do Sul. “Já tenho pessoal dos círculos da América do Sul junto comigo. Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile já conversei”, relatou a candidata a nossa reportagem. São quatro vagas no parlamento, mas não se não sabe quantos candidatos vão disputar o pleito, porque “ainda não fecharam a lista”, contou.

Simone é contadora e trabalha na empresa da família, e apesar do sobrenome alemão, ela acrescentou nas redes sociais, o “Valentini”, sobrenome da mãe, já falecida. Simone adquiriu a cidadania italiana em 2017, mas participa desde criança do coral e grupo de danças, do Circolo Trentino di Taió e passou por vários cargos na diretoria do grupo.

Também é assídua participante de congressos e seminários de Circolos Trentinos no Brasil e em Trento. Viajou diversa vezes para a Itália e até coordenou Gruppo Giovani Trentini Brasiliani de 2007 a 2013. Atualmente é Coordenadora dos Circolos Trentinos de Santa Catarina.Renata Eitelwein Bueno, foi a primeira mulher nascida no Brasil a ocupar uma cadeira no Parlamento italiano. Ela foi eleita em 2013, pelo partido Unione Sudamericana Emigrati Italiani (USEI).

Enquanto isso, a candidata usa as redes sociais para se apresentar e pedir apoio aos representantes dos círculos trentinos. Ela quer representar  os italianos na América do Sul e divulgou um pequeno texto se apresentando como candidata. “Muitos de vocês já conhecem meu trabalho e empenho em prol dos Italianos. Por isso peço que apoiem essa iniciativa. Está na hora de termos um representante Trentino no Parlamento”, 

TEXTO: Alexandre Salvador

 

Comentários