Febre amarela no Alto Vale: Como proteger as crianças?

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Pediatra Michele Gatti C. Vieira destaca que não há motivos para pânico, já que a doença não atingiu a região nem no ciclo urbano nem no silvestre

O assunto febre amarela está em praticamente todas as rodas de conversa e as dúvidas só aumentam. No Alto Vale a procura pela vacina se intensificou de forma geral, com foco para o público infantil. A pediatra, Michele Gatti C. Vieira, alerta que não há motivos para pânico e esclarece o assunto.

De acordo com a especialista, a vacina entrou para o Calendário de Vacinação da Rede Pública de Santa Catarina para 2018, mas não há motivos para pânico, já que a doença não atingiu a região do Alto Vale nem no ciclo urbano nem no silvestre. “Não há motivos para pânico, mas estamos tomando medidas por precaução. Assim, todas as crianças de 09 meses a 02 anos devem receber as vacinas, segundo o novo calendário vacinal de 2018. Também devem ser vacinadas todas as crianças maiores que forem viajar para áreas de risco”, explica ao ressaltar que a vacina faz efeito 10 dias após a aplicação.

A pediatra lembra ainda que existem algumas restrições. “Gestantes não devem tomar a vacina da febre amarela por se tratar de vírus vivo atenuado. Porém as recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações são para avaliar o risco da gestante, caso viva em região de alto risco deve sim receber a imunização. Já quem amamenta pode tomar somente quando o bebê completar 06 meses de idade. No entanto, se a vacina não puder ser evitada, deve suspender a amamentação por 10 dias após a vacina, pois o vírus pode ser transmitido pelo leite materno”.

Validade da vacina

Muito questionada, a vacina fracionada também gera dúvidas entre a população. Segundo a profissional, a dose padrão produz imunidade para a vida toda. Já a fracionada por pelo menos 08 anos. Vale lembrar que a dose fracionada será aplicada somente nos estados de São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro, porém com algumas restrições.

Fique atento

Em caso de infecção por febre amarela a especialista lembra que não há tratamento específico. Se a criança for contaminada, é indicado observação hospitalar e ter as possíveis alterações controladas, como a insuficiência renal e hemorragias. Os principais sintomas da febre amarela são febre alta, calafrios, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. Na forma grave, esse quadro pode evoluir com certo período de melhora, quando aparece a insuficiência hepática e renal, pele e olhos amarelos, sangramentos e cansaço intenso.

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida através de vetores. No ciclo silvestre, a transmissão ocorre pela picada dos mosquitos do gênero Haemagogus e Sabethes, os quais devem picar um macaco infectado para depois transmitir para o ser humano. No ciclo urbano, que não está acontecendo no Brasil nesse momento, o vetor é o Aedes aegypti, o mesmo da transmissão da Dengue, Zika e Chikunguya.

TEXTO: Alinhar Comunicação 

Comentários