PSD, PP e PSB deixarão cargos no governo de SC

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
 Os diretórios estaduais de três partidos, PSD, PP e PSB, decidiram em conjunto, que em caso de eventual renúncia do governador Raimundo Colombo (PSD), os filiados detentores de cargos de primeiro escalão devem encaminhar às executivas dos partidos cópia do pedido de exoneração até um dia antes da renúncia do atual governador.

A decisão reforça a nova aliança para as eleições de 2018. Os três diretórios estaduais publicaram,resoluções normativas internasque estabelecem regras para o desembarque do governo estadual.

Colombo também ser reuniu com toda a bancada do PSD na Assembleia Legislativa que chancelaram o acorde de entregar os  cargos comissionados do primeiro escalão no dia 7 de abril.   Já os comissionados de segundo e terceiro escalão, as substituições dependerão do novo governador Eduardo Pinho Moreira e dos próprios titulares. Se eles decidirem permanecer terão que se licenciar do partido. A regra vai valer também para o PP e  PSB, que estão fechados em coligação com o PSD, apoiando a candidatura do presidente Gelson Merisio ao governo do Estado.

Ficou acertado que aquele que permanecer no governo após Colombo renunciar ao mandato terá sua filiação suspensa até a data do efetivo desligamento. O documento também reforça a orientação partidária tomada em bloco. “A não observância das orientações partidárias sujeitarão o filiado infrator a instauração de procedimento disciplinar”, afirmam as resoluções.

Os documentos foram assinados pelo presidente Gelson Merisio (PSD), presidente Ronaldo Freire (PSB) e presidente-interino Silvio Dreveck (PP).

Comentários