Amin e Kleinubing podem fazer dobradinha ao Governo de SC

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Lideranças do Partido Progressista e do PSD do Alto Vale do Itajaí,  lançaram respectivamente, os deputados federais, Esperidião Amin e João Paulo Kleinubing para o o governo de Santa Catarina. Amin conta com o apoio declarado de 28 diretórios municipais do PP, já o nome de Kleinubing começa a ganhar força dentro do PSD no Alto Vale. Lideranças do PSD de Pouso Redondo e de Taió fizeram reuniões para expressar apoio à JPK, quando o deputado passou pela região, no final de semana.

Os Pessedistas que estão em cargos nas Regionais, atribuem o fechamento de três, das quatro ADRs no Alto Vale à intransigência de Merisio, e o apoio à  Kleinubing seria uma resposta ao líder do PSD.

O ato de transmissão da presidência do PP, do deputado federal Esperidião Amin para o deputado estadual Silvio Dreveck nesta segunda-feira, 26/02  será marcado pelo pré lançamento de Amin ao Governo de SC. Os progressistas estão aliados com o PSD, o PSB e outras legendas desde 2017. Até agora, esta coligação tinha apenas o nome do deputado estadual, Gelson Merisio, presidente estadual do PSD ao Governo.

Como a candidatura do pessedista não decola e o nome de Esperidião Amin vem liderando todas as pesquisas e analises para o governo, a decisão de sair candidato coloca o PP no jogo. Essa estratégia ajuda o projeto de formar uma coligação multipartidária, defendida por Merisio.

Amin seria a opção da coligação PP-PSD-PSB-PDT, ao governo, e  João Paulo Kleinubing entraria no jogo como vice. O próprio Esperidião, em conversas reservadas nunca escondeu a sua preferência  Kleinubing, que foi secretário de Estado da Saúde e filho do ex-governador Vilson Kleinübing.

Vilson foi eleito governador com Amin vencendo a disputa ao Senado em 1990, a aliança vitoriosa entre os sobrenomes Amin e Kleinubing poderia ser reeditada 25 anos depois.

O PSDB poderia estar na composição, Paulo Bauer disputaria novamente o Senado ao lado de Colombo, o grupo daria palanque ao presidenciável Geraldo Alckmin  em SC, desde que o PSDB não disputasse o Governo.

Em um provável segundo turno, Amin teria vantagem ao nomes do PMDB e PSDB, é  o único que teria os votos do PT.

 

 

Comentários