João Rodrigues é indicado para comissão que analisa nova leis de licitações

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

As coisas obscuras na Câmara dos Deputados vão de vento em popa, sem constranger os parlamentares, que usam e abusam do poder para beneficio próprio. O caso mais recente envolve novamente um deputado federal de Santa Catarina.

Na terça-feira, (27/02),  o Conselho de Ética da Casa instaurou processo por quebra de decoro contra o deputado federal  João Rodrigues (PSD). Na  quarta-feira,(28/02) o nome João Rodrigues apareceu no portal da Câmara como um dos integrantes da comissão especial, criada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Mesmo condenado e preso por fraude em processo licitatório, João Rodrigues foi indicado na comissão que deverá alterar justamente a lei que o condenou.  A comissão especial, criada também na terça-feira (27/02).

Mas graças a repercussão negativa,  o líder do PSD, deputado Domingo Neto (CE), anulou a indicação de Rodrigues para o colegiado. Segundo Domingos Neto, a indicação ocorreu antes da prisão do deputado.

“É uma indicação antiga, essa comissão não é nova. A prisão ainda está em grau de recurso, mas devido a situação do deputado que não poderá comparecer as reuniões da comissão, decidiu pedir a substituição ontem mesmo”, justificou o líder Domingos Neto.

João Rodrigues está preso desde o dia 6 de fevereiro em um presídio do Rio Grande do Sul. Ele foi condenado, em 2009, a cinco anos e três meses de prisão em regime semiaberto, por improbidade administrativa, por ter autorizado, quando prefeito em exercício de Pinhalzinho, em 1999, um processo licitatório com irregularidades para compra de uma retroescavadeira.

 

Jorge William / Agência O Globo/27-10-15
Comentários