Guarda Municipal reforça fiscalização em Rio do Sul

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Primeiros dias de fiscalização de trânsito em Rio do Sul já tem registros de irregularidades

Guarda Municipal reforça objetivo da medida que é a redução do excesso de velocidade. Veiculo já foi pego a 110 km/h.

O excesso de velocidade praticado por alguns motoristas está sendo fiscalizado pela Guarda Municipal de Rio do Sul com um radar móvel. Nesta primeira semana de atuação, os agentes estão utilizando o equipamento em três ruas: alameda Aristiliano Ramos, avenida Oscar Barcelos e rua Rui Barbosa em horários indefinidos, podendo ser tanto de manhã como a noite. Com antecedência e todas as semanas, a Guarda Municipal divulgará os locais que possivelmente serão fiscalizados.

Nesta primeira semana, um registro chamou a atenção da Guarda Municipal. 11 veículos trafegando acima de 80 km/h e um deles a 110 km/h. O limite permitido em vias urbanas em Rio do Sul é de 50 km/h. A infração gera multa e pontos na carteira de habilitação.

O comandante da Guarda Municipal, Robson Ferreira, ressalta que o objetivo é conscientizar os motoristas que o limite de velocidade precisa ser respeitado, por uma questão de segurança para a comunidade. “O número de denúncias que chega até nós por veículos trafegando acima do limite é muito grande. Vários bairros de Rio do Sul tem muitas avenidas e ruas extensas. O número de acidentes na cidade também é preocupante e reforça medidas que diminuam estes valores”, ressalta Ferreira.

A população que dirige nos limites de velocidade não tem por que se preocupar. A fiscalização é para evitar excessos e orientação através de blitzes educativas. O objetivo principal não é a multa, mas sim conscientização de que as avenidas e ruas da cidade não foram feitas para acelerar acima do limite permitido. “Temos dezenas de relatos de pessoas que viram motoristas cometendo verdadeiros crimes nas grandes avenidas de Rio do Sul. E não é apenas no centro, pois muitos bairros têm ruas extensas e em retas”, adianta o comandante.

TEXTO: Clóvis Eduardo Cuco

Comentários