Rio do Sul registra 1.144 auxílios-doença por acidente de trabalho

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Os números são do Ministério Público do Trabalho (MPT) que apurou estes dados entre os anos de 2012 a 2017

 Na capital do Alto Vale foram registrados 1.144 auxílios-doença por acidente de trabalho durante o período da pesquisa provocando um impacto de R$9.572.176,59, com a perda de 187.740 dias de trabalho.

Em Rio do Sul, os cortes, lacerações e feridas contusas são as principais causas do afastamento de trabalho. De 2012 a 2017, esses acidentes afastaram temporariamente 430 empregados. Logo atrás, com 230 pessoas afastadas, estão as fraturas. No mesmo período, contusões e esmagamentos tiveram 184 registros.

Santa Catarina ocupa o segundo lugar no país em gastos com acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. No Estado, a fundição de ferro e aço afastou 9.932 trabalhadores nos últimos seis anos. Os dados mostram ainda, que o país teve 14.412 mortes acidentais notificadas, gerando um gasto de R$ 26 bilhões com benefícios acidentários.

Em busca de diminuir esses números e conscientizar empregados e empregadores, os integrantes do Núcleo de Segurança no Trabalho da Associação Empresarial de Rio do Sul (ACIRS) promovem diferentes ações para que esses números diminuam. Entre as práticas realizadas pelo grupo está o compartilhamento de informações e métodos usados em cada empresa nucleada. As normas regulamentadoras são discussão frequente no grupo para que todos possam estar sempre adequados à legislação e aplicando-as nos empreendimentos que atuam.

 10 setores que mais possuem comunicação de acidentes em Santa Catarina

  • Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas (81);
  • Abate de suínos, aves e outros pequenos animais (76);
  • Fabricação de peças e acessórios para o sistema motor de veículos automotores (73);
  • Transporte rodoviário de carga (58);
  • Construção de edifícios (38);
  • Atividades de atendimento hospitalar (31);
  • Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – hipermercados e supermercados               (29);
  • Manutenção e reparação de veículos automotores (29);
  • Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (28);
  • Comércio varejista de outros produtos novos não especificados anteriormente (17).
Comentários