Dário protesta contra cortes no orçamento para BR 470

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O senador Dário Berger (PMDB) reagiu e protestou contra os projetos de lei, os chamados PLN’s, que o governo enviou recentemente ao Congresso, para alterar o Orçamento Geral da União (OGU) e cancelar cerca de R$ 60 milhões que já estavam previstos para obras nas rodovias federais de Santa Catarina. Pela proposta, as BR’s 470, 280, 285 e 163 seriam afetadas e poderiam perder parte do dinheiro já aprovado no OGU 2018.

A atuação de Dário foi decisiva para a manutenção do dinheiro originalmente previsto no Orçamento Geral da União de 2018 para obras em rodovias federais e protestou contra cortes no orçamento.

Mas, depois de muita insistência, trabalho e articulação durante toda a semana junto a liderança do governo e do Relator Geral do Orçamento, Deputado Cacá Leão (PP/BA), o Planalto recuou e atendeu ao apelo do senador para que fossem mantidos os recursos originais para a área de transportes.

No total são aproximadamente R$ 580 milhões somente para a área de infraestrutura rodoviária que Dário não mediu esforços enquanto presidente da CMO para incluir no Orçamento da União deste ano.

“É inaceitável que sejam subtraídos sem critérios, os recursos que a bancada conquistou a duras penas para obras que, inclusive, já estão em andamento no estado”, explicou o senador.

Apesar da “vitória” comemorada por toda bancada, Dário alertou da necessidade do Fórum Parlamentar Catarinense (formado pelos 16 deputados federais e três senadores) se manter atento e mobilizado para cobrar o empenho e execução do orçamento.

“Foi mais uma conquista importante, mas é preciso continuarmos vigilantes, cobrando a execução das obras e ações, e unidos para evitar qualquer nova tentativa de remanejamento dos recursos que conquistamos para o nosso estado. No total, são mais de R$ 830 milhões que poderão ser investidos em diversas áreas essenciais para o desenvolvimento de Santa Catarina”, destacou Berger.

Comentários