Deputados de SC na lista da CPI da Lava Jato

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Dos 190 deputados federais que estão na lista dos que assinaram o requerimento para instalação da CPI que poderá derrubar a Operação Lava Jato, cinco são de Santa Catarina. São eles: Rogério Peninha Mendonça,  Celso Maldaner e Valdir Colatto do MDB, Pedro Uczai e Décio Lima do PT. A lista foi divulgada pelo site O Antagonista.

A comissão formada por deputados majoritariamente de esquerda quer a criação de uma CPI para investigar as denúncias de irregularidades feitas contra o advogado Antônio Figueiredo Basto e escritórios de advocacia envolvidos em alguns processos de delação.

Figueiredo Basto é acusado de cobrar propina mensal de doleiros no valor de 50 mil dólares em troca de proteção contra outras acusações no Ministério Público. Ele defendeu Alberto Youssef, Lucio Funaro, Ricardo Pessoa e Renato Duque. O advogado é considerado um dos maiores especialistas do Brasil em colaborações premiadas. Ele nega a acusação e afirmou que nunca teve qualquer tipo de contato com Claret, Souza nem com o doleiro Dario Messer.

Encabeçada pelo PT, a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) destinada a matar a Operação Lava Jato alcançou o número suficiente de assinaturas, com a chancela de 190 deputados federais.  O requerimento para a instalação da CPI foi protocolado no dia 30 de maio. A instalação da comissão depende agora do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Diz o texto do documento: “O objeto da CPI deverá estender-se, por conexão, para ocorrência de irregularidades em sede de outras investigações, que estejam em desacordo com o quanto firmado na legislação de referência e na defesa do sistema de proteção de direitos e garantias insculpidas na Constituição Federal, por ser do interesse da sociedade o resultado válido, legítimo e eficaz da aplicação das normas e da conduta dos agentes públicos.”

E mais: “É necessário investigar a possibilidade de manipulação das colaborações premiadas, o que indica fraude nos procedimentos e a possibilidade do envolvimento de agentes públicos. Esse é o objeto determinado.”

O procurador da República Deltan Dallagnol, um dos principais integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirma que as delações premiadas firmadas geraram um “efeito dominó” que contribui decisivamente para o aprofundamento das investigações. Segundo ele, a “a alternativa à colaboração (premiada), em grande parte dos casos, é a impunidade”.

“(A delação) Jamais serve sozinha para acusar alguém criminalmente, mas é um excelente início de prova para aprofundar a investigação. Assim aconteceu, por exemplo, no caso da Odebrecht, em que o aprofundamento das investigações nos levou a conseguir depósitos bancários milionários feitos por contas em nome da Odebrecht em favor de ex-diretores da Petrobras, tudo de modo escondido, no exterior”, disse o procurador em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

O Deputado Rogério Peninha Mendonça, que representa a região do Alto Vale do Itajaí no Congresso Nacional, emitiu nota, onde disse que ficou surpreso com a divulgação do seu nome, em reportagem que insinua que é contrario a operação da PF. Ele solicitou a retirada da assinatura do documento.

“Além de apresentar requerimento (REQ 8879/18) para retirar minha assinatura da CPI, estou ajudando o Deputado Luis Carlos Heinze (PP/RS) a buscar apoio aqui dentro do plenário pra enterrar de vez essa comissão”. Lei a nota:

A quem interessa pôr fim à Lava Jato?

Àqueles que estão enroscados na Justiça. Aqueles que temem as garras de Sérgio Moro.

NÃO É ESTE O MEU CASO.

Não respondo a um único processo, nunca apareci em delação, não estou sendo investigado por qualquer coisa que seja.

No app “Detector de Ficha de Político”, você pode conferir. Aproveite para pesquisar a ficha de outros parlamentares. Infelizmente são pouquíssimos os que não têm rabo preso.

E por isso foi com surpresa que vi uma lista divulgada pelo Antagonista, em que meu nome aparece como um dos que querem acabar com a operação que está passando a limpo o Brasil.

Já solicitei, por meio de requerimento, que minha assinatura seja retirada desta listagem.

A Lava Jato é um patrimônio dos brasileiros e não pode estar sob ameaça.

O teor do documento que assinei inicialmente foi alterado. Fizeram uma grande sacanagem e envolveram muita gente que não tinha culpa. O próprio Antagonista admitiu em nota hoje: goo.gl/Dk2wPV

 

Obrigado aos amigos que mandaram mensagens para me alertar. Honestidade não é virtude, é OBRIGAÇÃO!

 

 

 

Comentários