Nota Oficial: Hospital e Maternidade Dona Lisette e Instituto Vidas

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Vidas Instituto de Assistência à Saúde e o Hospital Dona Lisete (HMDL) de Taió informa que está há 10 meses à frente da administração do Hospital e Maternidade Dona Lisette, oportunidade em que foram realizados 4.459 consultas especializadas no ambulatório, 19.203 atendimento no Pronto-Socorro, 6.450 exames radiológicos, 489 procedimentos invasivos/cirurgias; 223 nascimentos, 1.709 exames de ultrassonografia e 1.398 internações (adulto/pediátrico/ obstétrico).

Todos esses procedimentos visam contribuir para a melhoria da Saúde da comunidade taioense. A direção afirma que desde o início a gestão do Vidas e do HMDL tem trabalhado com muita transparência atingindo metas e devolvendo mensalmente os recursos não aplicados, fazendo com que principalmente, além das especialidades, exames e cirurgias, entre outros procedimentos retornassem para o município.

Como é o caso do serviço Materno-Infantil e os partos, que retornaram a serem realizados no Hospital e no município. Este foi uma grande luta encabeçada pela direção do Vidas, do HMDL e da Prefeitura Municipal de Taió e que resultou em benefício as mamães que não precisam mais se deslocar para outras cidades para terem seus bebês.

Mas infelizmente, um caso isolado que não tem ligação com o Vidas e o HMDL, gerou tamanha polêmica no município, que põem em risco neste momento, a continuidade do convênio com a Prefeitura. Essa situação está sendo gerada por conta de pessoas que tentam destruir e denegrir todo o trabalho construído durante este período.

Infelizmente a direção do HMDL não gostaria de deixar a comunidade desassistida na área da Saúde. Aguardamos o desfecho e estamos atentos aos comentários e tentativas de interromper o precioso serviço à nossa população.

Nunca na história recente do Hospital se atendeu tanto e tão bem a nossa comunidade de Taió. Torcemos para que cargos políticos não sejam utilizados para prejudicar a assistência a Saúde do taioense.

 

 

Comentários