Amin e Bauer lideram pesquisa que ignora Kleinubing

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A pesquisa apresentada pelo grupo Ric Record / Associação dos Diários do Interior, mostra Esperidião Amin (Progressistas) e Paulo Bauer (PSDB), na liderança dos cenários em que aparecem ao Governo do Estado.

Amin só foi pesquisado em um cenário, a amostragem ignorou outros pré-candidatos, como  João Paulo Kleinubing (DEM) e Napoleão Bernardes (PSDB), mas contou com o nome do  governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), que desistiu da disputa.

Pinho Moreira  aparece bem na espontânea, com 2,2%, perdendo apenas para Amin, que lidera com 4,5%. Gelson Merisio (PSD) e Décio Lima (PT) aparecem tecnicamente empatados, com 14,5% e 14,1%, respectivamente.

Merisio aparece em quinto na espontânea e de três cenários, em dois atinge os dois dígitos, sendo que em um, está empatado tecnicamente com Mauro Mariani (MDB) e Décio Lima (PT). Essa  pesquisa mantém o nome dele no cenário.

 

O pré-candidato ao Governo do Estado, João Paulo Kleinubing (DEM), a respeito da pesquisa do Grupo Ric Record / Lupi e Associados, pediu para ser incluído na pesquisa. Em nota, o diretório estadual contestou o resultado.

“Nossa atitude foi balizada pelo fato de que desde o mês de março, nosso presidente estadual João Paulo Kleinübing (atualmente deputado federal, ex-prefeito de Blumenau por dois mandatos, ex-deputado estadual) vem colocando seu nome como pré-candidato ao Governo do Estado. Desde então, o DEM reafirma sua convicção no nome e no trabalho realizado por Kleinübing, o que vem ganhando inclusive apoio de outras siglas, como o Partido Verde, que declarou apoio público ao projeto conjunto.

Outro fator extremamente relevante é o bom desempenho do nosso pré-candidato nas pesquisas internas e mesmo nas realizadas por outras entidades, que vieram a público. Mesmo não possuindo as grandes estruturas de outros postulantes, o DEM segue com um pré-candidato forte, reconhecido e experiente. O mesmo DEM que elegeu Vilson Kleinübing em 1990 e Raimundo Colombo em 2010. Desta forma, a não inclusão no nome de João Paulo Kleinübing na pesquisa do Grupo RIC/ Lupi Associados causa, não apenas ao DEM, mas certamente à toda sociedade catarinense, profunda estranheza.

Por que não incluir um nome estadualizado, de trabalho reconhecido e com pré-candidatura anunciada de forma pública? A quem interessa excluir nomes, mesmo após uma solicitação formal de inclusão em pesquisas? Só nos resta lamentar o ocorrido e reafirmar nossa convicção de que, passadas as convenções partidárias Santa Catarina, terá sim opção de voto para governador. E essa opção se chama João Paulo Kleinübing” 

Diretório estadual do Democratas

Comentários