Anuncie aqui!
Publicado há 09:13 | Atualizado em 08/04/19 às 09:04

Casos da doença mão-pé-boca foram confirmados em creches de Rio do Sul

Até agora, 16 crianças estão afastadas dos Centros de Educação Infantil de Rio do Sul, por terem sido diagnosticadas com a doença mão-pé-boca. A quantidade maior de crianças com a doença, são do Centro de Educação Infantil (CEI) Adelaide Ledra, no bairro Santana, onde oito crianças foram contaminadas pelo vírus.

Dos oito casos confirmados na unidade, três também foram afastadas por terem suspeitas da doença. O Centro está funcionado e foram tomados todos os cuidados com a higiene da unidade.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Rio do Sul informou que um pediatra da Secretaria de Saúde fez o atendimentos às crianças e as recomendações aos pais de maneira individualizada.

A Vigilância Sanitária descartou a hipótese de epidemia e manteve as atividades normalmente nas unidades. A recomendação é que se os pais identificarem casos semelhantes, que não levem as crianças para a escola e procurem uma unidade de saúde.

 

São sinais característicos da doença mão-pé-boca:

-Febre alta nos dias que antecedem o surgimento das lesões;
-Aparecimento na boca, amídalas e faringe de manchas vermelhas com vesículas branco-acinzentadas no centro que podem evoluir para ulcerações muito dolorosas;
-Erupção de pequenas bolhas em geral nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, mas que pode ocorrer também nas nádegas e na região genital.
-A transmissão se dá pela via fecal/oral, através do contato direto entre as pessoas ou com as fezes, saliva e outras secreções, ou então através de alimentos e de objetos contaminados. Mesmo depois de recuperada, a pessoa pode transmitir o vírus pelas fezes durante aproximadamente quatro semanas.

Não existe vacina contra a doença.