‘Presos justiceiros’ que torturavam estupradores são condenados em Rio do Sul

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Um grupo de presos foi condenado por agirem como “justiceiros” dentro de um presídio Regional de Rio do Sul. Eles torturavam outros detentos, condenados por estupro, “conforme a ética do cárcere”. A decisão foi da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, em apelação sob a relatoria da desembargadora Cinthia Beatriz Bittencourt Schaefer.

Segundo o TJ-SC, quatro homens foram condenados por causar “sofrimento físico e mental” a dois companheiros de cela, com tapas, socos, chutes, imposição para que se ajoelhassem sobre grampos de roupas e ateassem fogo nos pés. Eles também sufocavam os colegas com saco de plástico e os afogavam dentro da privada.

Uma das vítimas tinha 77 anos na época dos crimes dentro do cárcere – registrados entre os meses de janeiro e fevereiro de 2013. Segundo informações do Poder Judiciário de Santa Catarina, em apelação, os réus buscaram absolvição por falta de provas ou mesmo a desclassificação dos delitos cometidos.

Os réus tiveram, originalmente, penas individuais que variaram entre cinco e dois anos e oito meses; e dois anos e quatro meses de reclusão. Apenas um deles, inicialmente condenado a cinco anos de prisão, obteve benefício atenuante por ter apenas 21 anos na época. Ele teve sua condenação reduzida para quatro anos e quatro meses de reclusão.

Comentários