STF declara lícita gravação que filmou candidato comprando voto

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Supremo Tribunal Federal, validou uma gravação onde aparece o então candidato a prefeito, Alfonso Maria de Souza, o Fumo do MDB, entregando um cheque em troca de votos. Um vídeo gravado às vésperas da eleição municipal de 2016, foi encaminhado à Justiça Eleitoral, que não aceitou o material como prova lícita.

Os denunciantes, recorreram da decisão de primeira e segunda instância, que agora retorna ao
O agravo foi interposto pela coligação “Respeito pelo povo e pelo que é do povo”, com parecer favorável do Ministério Público eleitoral. Fumo venceu as eleições contra Vilmar Zandonai, o Mazinho do PP, ele perdeu o mandato de prefeito por outro processo.

Na filmagem, “Fumo”, então candidato a prefeito eleito, afirma que o eleitor não poderia revelar isso a ninguém, pois “daria cadeia” aos dois. O vídeo teria sido gravado dia 29/09, poucos dias antes do pleito eleitoral. O vídeo dá a entender que seriam quatro votos envolvidos na negociação.

DECISÃO: 42479_novo_documento_2019_03_15_13.12.21

 

 

 

Comentários