Suspensão de repasse para educação compromete alfabetização no Brasil

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O desmonte na educação promovido pelo governo Bolsonaro não está restrito ao Ensino Superior. O MEC deixou de repassar parte das verbas destinadas à educação básica. No ano passado, por exemplo, foram repassados R$ 399,6 milhões para 9.197 escolas públicas, através do Programa Dinheiro Direto na Escola. Neste ano, o repasse foi zero. 

A falta de recursos compromete a meta do Plano Nacional de Educação de ter ao menos 25% dos alunos estudando em tempo integral até 2024 (atualmente, o número está em cerca de 15%). Também não foram repassadas verbas para obras de acessibilidade, fornecimento de água, instalação de internet e apoio a escolas rurais. A falta de recursos vai na contramão da promessa do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de que a alfabetização seria prioridade de sua gestão – discurso também repetido por Bolsonaro durante a campanha.

Comentários