Proibição do bagaço de cevada para animais mobiliza cervejarias

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Cervejarias de Blumenau e a Faema iniciaram um trabalho em conjunto para tentar contornar um problema surgido a partir de uma nova norma baixada pelo Ministério da Agricultura. Trata-se do uso do bagaço de cevada para a alimentação bovina, que passou a ser proibida.Até cerca de um mês atrás todo o bagaço de cevada derivado do processo de produção da cerveja era vendido a agricultores.

O bagaço é rico em nutrientes e utilizado mundialmente como parte da alimentação de bovinos.Porém o subproduto gera uma grande quantidade de bactérias caso não seja corretamente manejado e pode trazer riscos à saúde dos animais e, consequentemente, aos humanos. A suspensão do uso do bagaço de cevada trouxe problemas tanto para cervejarias quanto para a rede de agricultores que se beneficiava dele.O bagaço de cevada chega a diminuir em 25% o custo com a ração por parte dos agricultores, já que ele é diluído com outros componentes da alimentação.

Comentários