Servidor de Taió emprestado, é promovido no Governo Bolsonaro

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O servidor do município de Taió, que também presidenteo PSL local, Marcos Vinicius Pereira de Carvalho vai presidir Comissão sobre Mortos e Desaparecidos Políticos. Ele é advogado e ocupa atualmente um cargo comissionado no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Jair Bolsonaro trocou quatro dos sete integrantes depois do colegiado emitir documento que atesta que a morte de Fernando Santa Cruz, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, se deu de forma “não natural, violenta, causada pelo Estado brasileiro”.

Na última segunda-feira (29), Bolsonaro afirmou que “um dia” contará ao juiz que preside a OAB como o pai dele desapareceu na ditadura militar. “Ele não vai querer ouvir a verdade. Eu conto para ele”, disse.

De acordo com o decreto publicado nesta quinta-feira, estas são as alterações feitas na composição da Comissão sobre Mortos e Desaparecidos:

Marco Vinicius Pereira de Carvalho substitui Eugênia Augusta Gonzaga Fávero, atual presidente do colegiado

Weslei Antônio Maretti substitui Rosa Maria Cardoso da Cunha

Vital Lima Santos substitui João Batista da Silva Fagundes

Filipe Barros Baptista de Toledo Ribeiro substitui Paulo Roberto Severo Pimenta

A presidente substituída do colegiado, primeira da lista de trocas, havia criticado Bolsonaro na segunda-feira pelas declarações relacionadas a Santa Cruz. “Consideramos extremamente grave pela dor dos familiares, mas também pelo fato de ser um presidente da República de um país que vem assumindo essas mortes desde 1995, pelo menos”, afirmou Eugênia Gonzaga.

Questionada pela TV Globo sobre ter sido retirada da comissão nesta quinta-feira, Eugênia disse que “já esperava”. As informações são do Portal G1

 

Comentários