Anuncie aqui!
Publicado há 09:30 | Atualizado em 17/08/19 às 09:08

Ex prefeito de Ituporanga vira réu

A justiça acatou denúncia de corrupção ocorridas nos governos do PMDB e PSD, respectivamente de Luiz Henrique da Silveira e Raimundo Colombo.

Foi a juíza da 1ª Vara Federal de Florianópolis, Janaína Cassol Machado, que aceitou denúncia do Ministério Público Federal e que tornou 17 pessoas acusadas de corrupção em réus.

Eles estão na lista de investigados da Operação Alcatraz, que apontou fraude em licitações, desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e corrupção passiva e ativa.

A operação foi criada para investigar fraudes em licitações e desvio de recurso público na Epagri e na Secretaria de Estado da Administração em contratos de prestação de serviço, principalmente em presídios e penitenciárias, e compra de equipamentos na área de tecnologia.

O ex-presidente da Epagri e prefeito de Ituporanga, Luiz Ademir Hesmann estão entre os enquadrados pela lei de licitações com pena de prisão prevista de 2 a 4 anos, fora a multa.

Estão na lista, Danilo Pereira, Maurício Rosa Barbosa e Flávia Coelho Werlich, que responderão por quatro delitos relativos a fraude em processos licitatórios.

Os outros réus são Fábio Lunardi Farias, Décio Luiz Rigotto, Fabrício José Florência Margarido e Eduardo Suekiti Almeida Shimokomaki, acusados de três delitos de fraude em processos licitatórios. Já, Lia Carneiro Pessoa de Paula Frota, Thiago Sartorato, Éderson Clóvis de Oliveira Santos, Rafael Pedro Gepes Silva e Renato Deggau, por uma ocorrência de crime contra a lei de licitação.

Pelo mesmo crime, mas pelo artigo 96 que estabelece pena de 3 a 6 anos, por fraude e prejuízo da Fazenda Pública em licitação instaurada para aquisição, ou venda de bens ou mercadorias, se tornaram réus o ex-presidente da Epagri, Luiz Ademir Hesmann, Danilo Pereira, Maurício Rosa Barbosa e Flávia Coelho Werlich por três ocorrências do mesmo crime. Fábio Lunardi Farias, Décio Luiz Rigotto, Fabrício José Florência Margarido e Eduardo Suekiti Almeida Shimokomaki por duas ocorrências do crime. Por sua vez, Thiago Sartorato, Éderson Clóvis de Oliveira Santos, Rafael Pedro Gepes Silva e Renato Deggau por uma vez.