Anuncie aqui!
Publicado há 07:10 | Atualizado em 10/10/19 às 01:10

PT de Rio do Campo tem prazo para explicar contas

O Ministério Público Eleitoral pediu a desaprovação das contas PT de Rio do Campo,  partido administra a cidade ha sete anos. O MPE também mira o PSD de Taió e o MDB de Mirim Doce. Uma coincidência, os partidos que tem as contas desaprovadas são os que administraram as três cidades.

Faltando apenas um ano para as próximas eleições, a  justiça eleitoral finalizou a averiguação das contas partidárias municipais. O Ministério Público Eleitoral e a Unidade Técnica do Tribunal Regional Eleitoral decidiram pela desaprovação das contas de três partidos, em três, dos quatro municípios da 46ª Zona Eleitoral.

O Juiz Dr. Jean Everton da Costa, deu prazo de 15 dias para que o PSD de Taió, o MDB de Mirim Doce e o PT de Rio do Campo se manifestem, sob risco de ficar de fora das eleições de 2020. Se o partido não conseguiu provar que a prestação de contas está dentro da legalidade, o mesmo pode ficar impedido de lançar candidaturas em 2020. 

A hipótese de não disputar o pleito é remota, mas se um partido não consegue fazer correta a prestação de contas internas, como esperar que o mesmo possa administrar  as contas públicas de um município? 

Partidos que administram Mirim Doce, Rio do Campo e Taió tem contas desaprovadas 

A situação chama a atenção na 46ª Zona Eleitoral, que compreende os municípios de Mirim Doce, Rio do Campo, Salete e Taió, três partidos que tiveram as contas suspeitas estão ligadas às respectivas administrações municipais. 

Em Taió, o PSD é presidido pelo vereador Tiago Maestri e o tesoureiro é Willian Henrique Noriller, que ocupa o cargo de secretário geral da Câmara de Vereadores de Taió. O PSD foi adversário da administração de Almir Guski, mas Maestri saiu da oposição em troca de apoio governista para presidir a Câmara de Vereadores. Dando assim, total sustentação política ao grupo do PSDB/MDB que administra o município de Taió.

Em Rio do Campo, o PT do prefeito Rodrigo Preis, que está em segundo mandato também vai precisar se explicar à justiça eleitoral. O presidente Zeferino Beiger e o tesoureiro João Everaldo Alves Padilha, são os atuais responsáveis pelo diretório municipal do partido dos Trabalhadores. 

O MDB de Mirim Doce administra a cidade a 11 anos, mas as contas do partido não tiveram a devida atenção. O partido do Prefeito Serginho Paizan é presidido por Amilton Marcello Waldrich e a tesouraria é ocupada pela Elaine Terezinha Corrente Borghesan, que precisam explicar o período de 25/10/2015 à 20/10/2017