Anuncie aqui!
Publicado há 07:06 | Atualizado em 13/02/20 às 05:02

Denúncia de superfaturamento na Câmara de Taió 

A Câmara de Vereadores de Taió adquiriu produtos no valor cinco vezes maior que o preço médio praticado pelo mercado local. 

A foto de um “checão” e o anúncio de devolução de dinheiro para a prefeitura, que seria da economia da Câmara de Vereadores de Taió, tentava mostrar parte da gestão do  presidente Tiago Maestri e seus colegas da Mesa Diretora. Foram matérias veiculada, ao longo dos últimos três anos  nas rádios locais no jornal Vale Oeste. Mas parece que o valor gasto com publicidade em rádios e Jornal, não tinha a intenção de promover uma “gestão eficiente”, mas de maquiar a realidade dos gastos. 

A casa legislativa de Taió, literalmente caiu na segunda-feira, 10/02. Os vereadores Valdecir João da Cruz, o Capilé do PL, Jair Alberto das Neves, Jinho e Joel Macoppi do PP, usaram a Tribuna Livre para explanar sobre os gastos da Câmara de Vereadores. Eles apuraram que a Câmara adquiriu, por exemplo, sem processo de licitação ou tomada de preço,  luzes de emergência no valor de R$ R$ 4.400,00.

Os equipamentos de segurança foram comprados de duas empresas de fora do município de Taió. Uma de Laurentino e outra de Rio do Sul. Confrontadas com os dados do Portal Transparência, a compra não deixa dúvida sobre o ato de improbidade. 

Por quatro luminárias de emergência, que custam em média R$ 150,00 reais no comércio local, a Câmara de Taió pagou R$ 690,00 cada um dos equipamentos.  Segundo o empenho de 17 de julho de 2019, a compra foi efetuada em Rio do Sul.  

Em outra compra no dia 03 setembro 2019,  foram mais quatro luminárias compradas ao custo de R$ 755,00, cada. Totalizando, conforme empenho, R$ 3.020,00. Se a Câmara comprasse os equipamentos no comércio local, custaria menos de mil reais. Ou seja, mais de R$ 3.000,00 de economia em apenas seis itens.

Para ser eleito presidente, Tiago Maestri, mudou de lado e negociou com os vereadores do MDB e PSDB.  Deu apoio total à administração municipal na Câmara, combinou com o prefeito Almir Guski (PSDB) e o Vice Alexandre Purnhagen (MDB) e assumiu a prefeitura  em três oportunidades. A ideia era pavimentar a candidatura de Maestri na chapa como vice do MDB. 

Agora, o presidente da Câmara de Vereadores de Taió e seus colegas da Mesa Diretora, vão  ter que se explicar ao seus eleitores, ao Ministério Público, ao Tribunal de Contas e a Justiça.

Até o fechamento desta matéria, Maestri não tinha respondido aos questionamento da reportagem. Ele poderá fazer isso a qualquer tempo, enviando nota para o e-mail: altovaleagora@gmail.com

 

Nota fiscal de compra em 17/07/2019

Nota fiscal de compra de 03/10/2019

Foto da luminária adquirida pela Câmara de Taió que custou R$ 755,00

 

MESA DIRETORA DE 2019 a 2020: Klaus Dieter Diel (MDB), Tiago Maestri (Sem partido), Peixinho(MDB), Jaci de Liz (PSDB).

 

ASSISTA AOS DISCURSOS: