- A informação que gera opinião!

Deputados divergem sobre vacina contra Covid-19 na sessão desta quinta-feira

Deputados Neodi Saretta e Rudinei Floriano manifestaram posições divergentes sobre vacina contra a Covid-19.

Por Redação

1 de outubro de 2021

às 12:20

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 A eficácia e a obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19 foram questionadas pelo deputado Rudinei Floriano (PSL) na tribuna da Assembleia Legislativa durante a sessão ordinária desta quinta-feira (30). Ele disse que toma ivermectina todo mês e recomendou que quem quiser fazer uso dos medicamentos do chamado “kit covid” deve fazê-lo porque são “medicamentos usados há muitos anos”.

 O deputado Neodi Saretta (PT), presidente da Comissão de Saúde, fez questão de deixar claro que essa não é a opinião majoritária da Assembleia Legislativa. O deputado defendeu que as pessoas tomem a primeira dose da vacina, a segunda dose e a dose de reforço, se necessário. “Quem defende a vida e a saúde tem de pensar em todos os mecanismos possíveis para evitar a perda de vidas”, disse Saretta, lembrando que já houve mais de 600 mil mortes notificadas em decorrência do novo coronavírus no país. “Esta Assembleia Legislativa, desde o início, esteve empenhada na busca de ações para combater a pandemia. Não adotaremos agora um discurso que vai levar a população à morte.”

 Floriano afirmou que respeita a opinião do deputado Neodi Saretta e enfatizou que é contra “a obrigatoriedade da vacina”, acrescentando que o tratamento precoce é um mecanismo possível para enfrentar a pandemia. Ele considera a vacina contra a Covid-19 “um experimento” e classificou como “palhaçada” que os países estrangeiros exijam passaporte sanitário.

 Fonte: ALESC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

Críticos consideram mecanismo autoritário, atentado à vacinação não obrigatória e risco à disseminação do vírus, além de criar ‘cidadãos de segunda classe’. No entanto, maioria dos prefeitos ouvidos na região defende ideia, apesar de ainda não haver planos para decretar medida. Outra parte dos gestores alerta que ação fere direitos, além de ameaçar liberdades. E, ao passaporte sanitário, eles dizem: “não”.
Deputados parabenizaram e pediram valorização dos professores durante a sessão plenária.
O senador Wellington Fagundes (PL-MT) homenageou todas as entidades que desenvolvem projetos solidários ou de grande relevância social.