- A informação que gera opinião!

70% das cidades não registram mortes por Covid em setembro

Das 295 cidades catarinenses, 204 não registraram óbitos.

Por Redação

21 de setembro de 2021

às 13:20

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 A vacinação contra a Covid-19 mais uma vez prova ser eficiente no combate aos casos graves e óbitos pelo coronavírus. Nesta segunda, 20, data em que o estado alcançou a marca de 50% da população adulta vacinada com as duas doses da vacina, registra-se também redução no número de óbitos pela doença. Das 295 cidades catarinenses, 204 não registraram óbitos no mês de setembro. Esse número representa cerca de 70% de todo o estado.

 Apenas 91 municípios tiveram mortes por Covid-19 até a última sexta-feira, 17. Algumas cidades, além disso, não registram morte há muito mais tempo. É o caso de Ibiam, Irati, Lacerdópolis, Lajeado Grande, Leoberto Leal, Nova Itaberaba, Salto Veloso e São Bonifácio, que não têm óbitos desde o mês de março. Cunhataí e Presidente Castello Branco, da mesma forma, não observaram novas mortes por Covid-19 desde fevereiro.

 Uma situação ainda melhor são as dos jovens municípios de Santiago do Sul, Capão do Alto e Bocaina do Sul, que desde o ano passado não têm mortes pelo Coronavírus. Capão do Alto, por exemplo, registrou sua última morte no dia 24 de novembro de 2020. É o município que há mais tempo não tem óbitos causados pelo vírus.

 “Quanto mais se vacina, melhores são os números, é o que nós percebemos. Estamos diminuindo o número de óbitos e o número de casos confirmados a cada semana. Cada passo é importante para sairmos da pandemia. E iremos sair.”, assinalou o secretário da Saúde André Motta Ribeiro.

 Fonte: Secom/SC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

O estudo faz parte de um projeto, iniciado em 2020, para criar um novo kit de detecção do coronavírus.
Os dados são do Vacinômetro do Estado desta quarta-feira, 13.
Os municípios passam a adotar medidas para garantir a oferta ampliada de pontos de testagem e realizar monitoramento na atenção básica para sintomas suspeitos.