- A informação que gera opinião!

CATEGORIA: Transparência

José Thomé (PSD) deverá acumular R$ 2,5 milhões com seus vencimentos na prefeitura até final de 2024, ano que marcará término do segundo mandato do gestor público municipal de Rio do Sul (SC).
Em dose dupla e sem perda de tempo, índice de recomposição inflacionária foi aprovado já na primeira sessão do ano da Câmara de Vereadores de Taió (SC).
Pela primeira vez na história, em meio à atual ‘pandemia’, especialistas, autoridades de saúde e políticos parecem agir em conluio para ignorar a poderosa proteção inata que ajudou a trazer a humanidade viva até o século 21. Afinal, por que eles escondem a existência da imunidade natural? A Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), por exemplo, foge das perguntas do portal Alto Vale Agora sobre o assunto. Mesmo que as autoridades corram do tema, nossa equipe revelará o mistério por trás dessa trama. Leia e confira!
Desastrada (ou proposital?), uma Nota Técnica Conjunta do governo catarinense provocou confusão ao citar, no contexto da pandemia de coronavírus, lei estadual que diz que unidades de ensino devem comunicar Conselho Tutelar se caderneta de vacinação não for apresentada até 30 dias após ato da matrícula. O fato gerou ansiedade em muitos pais de alunos. Enquanto é travada uma verdadeira guerra para inocular menores de idade, taxa de sobrevivência de crianças de 5 a 11 anos é de 99,997%. Ou seja, o risco de morte nessa faixa etária é praticamente ZERO, tranquilizam médicos José Augusto Nasser e Roberto Zeballos. A decisão de aplicar as doses nos filhos deve ser dos pais, lembrando que a própria Pfizer diz que ainda não conhece todos os possíveis efeitos adversos a longo prazo, também não se responsabiliza por eventuais danos à saúde e não dá garantia do seu produto.
O 2º Boletim Epidemiológico, com dados entre janeiro e novembro de 2021, mantém as duas mortes já divulgadas no primeiro informe (janeiro a setembro/2021) em Santa Catarina. Mas o novo documento revela que os óbitos sob investigação saltaram de 13 para 52. Por isso, surge a desconfiança: a demora na conclusão desses casos implica apenas em um trabalho complexo de apuração, como sustenta a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC)? Poderia tratar-se de controle de danos para não assustar ainda mais a população após a grande repercussão das mortes por vacinas - de um homem e de uma mulher - confirmadas anteriormente pelo governo catarinense? Falhas no monitoramento e subnotificação também preocupam.
Errar é humano, mas também pode ser muito chamativo. Ainda mais quando a falha escapa do controle de instituições das quais se espera domínio da língua portuguesa.
Termos aditivos de contratos foram assinados entre Prefeitura de Taió e Rádio Educadora, Rádio Demais FM, Red Web TV Online e RBA TV. As quatro emissoras já receberam dinheiro do Executivo durante todo o ano de 2021. Com a renovação, contratações vão vigorar até 31 de dezembro do próximo ano, data que marca a metade do mandato dos gestores. Até lá, a projeção é que esses gastos devem mais que dobrar. E, até o final da atual gestão, a despesa total com publicidade é estimada em R$ 1 milhão. Em vez de os contribuintes terem que arcar com tais custos, os meios de comunicação deveriam cumprir com seu dever de informar livremente. Ganhar verbas ou cobrar por serviços jornalísticos fere princípios éticos e compromete a isenção das notícias, além de prejudicar o público e derrubar a credibilidade dos veículos de comunicação que adotam essa prática condenável.
Jessé Lopes (PSL) descreveu na tribuna o caso de uma ação policial que terminou com a descoberta de uma plantação de maconha.
Gestor municipal de Rio do Sul (SC) já tinha entrado para o rol dos “mili” (milionários) com rendimentos ganhos durante primeiro mandato. Uma das folhas de pagamento, na virada do ano passado, ultrapassou valor bruto de R$ 53 mil, ou seja, Thomé chegou a receber valor equivalente a 49 salários mínimos em um único mês, mais que o vencimento de Bolsonaro como presidente da República. Com a reeleição, prefeito poderá duplicar sua riqueza à frente do cargo até o fim de 2024 através do supersalário – que é legal.
Com a chegada ao Brasil da variante ômicron, parte dos gestores públicos do Alto Vale teme que a 4ª onda de Covid-19 roube mais liberdades. É que cada novo alarde vem acompanhado da imposição de medidas restritivas cada vez mais draconianas pelo mundo afora. Enquanto isso, doses após doses também começam a gerar desconfiança em relação às vacinas. A ciência está perdendo credibilidade? A efetividade da inoculação – com a maioria das pessoas já vacinada - foi colocada em dúvida? Para forçar a adesão aos “reforços” vacinais, políticos seriam capazes de determinar restrições autoritárias que ameaçam direitos dos cidadãos como, por exemplo, confinar quem decidiu optar pelo direito de não se vacinar? Leia, descubra e surpreenda-se...