- A informação que gera opinião!

A indústria da enchente e a grande farsa política

Como os políticos do mal se aproveitam de uma ‘boa cheia’ enquanto estão pouco se lixando para o cidadão de bem...

Por Redação

5 de maio de 2022

às 16:12

Compartilhe

 Quanto pior, melhor. Essa artimanha ocultada da população por deputados, prefeitos e vereadores veio completamente à tona na “enchente da vergonha” – facilitada por políticos dissimulados -, em maio de 2022 na região do Alto Vale do Itajaí, em Santa Catarina.

 Com histórico de centenas de cheias, a região e o estado, em tese, acumulam expertise que já deveria ser modelo internacional; conhecimento que poderia até ser ‘exportado’.

 Mas não. Atônitas, mais uma vez, milhares de famílias tiveram que sair correndo de suas casas salvando o que deu da inundação. Algo inadmissível. Sem justificativa.

 O povo inocente pode imaginar que simplesmente problemas em comportas é que atrasaram a operação de fechamento das mesmas na Barragem Sul, em Ituporanga. Ou, então, que todo o possível foi feito. Inclusive, na Barragem Oeste, em Taió. Mas será que se a represa tivesse sido trancada um dia antes, a capacidade restante do reservatório não teria evitado inundar a cidade taioense a tal ponto?

 Para quem acredita que a culpada de tudo é apenas a natureza, ou mesmo a mera incompetência dos governantes, é hora de acordar. É tempo de enxergar a grande farsa.

 Veja! Fingindo empatia, grande parte dos políticos QUER suas cidades cobertas de água. Eles anseiam por destruição: deslizamentos, muros caídos, vias danificadas, pontes arrastadas… Quanto mais infernal o caos, melhor! Acredite!

 É por isso que as defesas civis são ocupadas por apadrinhados políticos que não sabem sequer entregar a tempo um banner indicativo do nível da cheia para orientar as pessoas pelas redes sociais. Por conta disso, há político que promove show (com novo prejuízo?), em vez de pressionar pela manutenção da barragem em seu município antes do período de chuvas. Por este motivo surge a suspeita de que há ‘erros’ nas manobras das barragens.

 Enquanto esses aproveitadores falseiam tristeza com mais uma enchente falando a veículos de comunicação comerciais (com ‘jornalistas de creche’ que só sabem bajular, sem que ao menos uma pergunta certeira saia de suas bocas), enquanto o governo gasta montanhas do dinheiro dos contribuintes com “simulações” de enchentes, enquanto milhões de reais sustentam um elefante branco que os caras de pau têm a ousadia de chamar de ‘radar meteorológico’, enquanto estruturas de proteção à inundação e ‘equipes de retaguarda’ custam fortunas… dessa vez, a máscara dos maquiavélicos caiu.

 Alô! Já sabemos! Vocês querem a tragédia. Vocês desejam o povo na lama. Vocês não veem a hora de poder ‘calcular os prejuízos’. Nem sequer se importam realmente com vidas.

 Não corram! Leiam até o fim. Agora, vamos usar a luz do sol da verdade e espalhar para todos o porquê desta ação anti-humana.

 Tudo isso objetiva um decreto de emergência de suas canetas infames – às custas de uma cidade que permitiram ser ainda mais destruída – para garantir-lhes verbas ao município. É justamente dali que vocês podem aproveitar recursos volumosos para surrupiar através das suas obras suspeitas de recuperação; sempre, claro, fazendo pose de ‘mocinhos’ ao, depois, inaugurá-las, não é? Custos aumentados em todas as áreas é a coisa que mais lhes provoca aquela saliva apetitosa…

 Sim, vocês odeiam a tragédia menor. Vocês querem o negócio da indústria da enchente. Vocês são uma farsa. E diga-se: agem como traidores do seu próprio povo.

 Senhores, tenham vergonha nas suas caras! Calem suas mentiras! Parem de ‘brigar’ entre si para achar culpados, pois, a intenção é apenas ‘dividir para conquistar’.

 À medida que as águas – que deixaram subir depressa – baixam lentamente, surgem dúvidas. Afinal, quais serão os prejuízos alegados em fotos e relatórios? Quanto virá de verbas para o Alto Vale? Os vereadores vão fiscalizar a aplicação dos recursos para coibir a corrupção?

 Por fim, resta saber se os eleitores terão boa memória para deixar de apoiar esse tipo de político frio e oportunista. Você usará as urnas para exorcizar esses rapineiros representantes do mal?

 Fonte: Redação

Últimas notícias

Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.
Campeã da gastança na atual legislatura, vereadora “Solange dos Doces” (PP) já vampirou, sozinha, R$ 71 mil dos cofres públicos; mas comilança de dinheiro dos contribuintes já infectou todo o legislativo municipal, maior devorador de recursos entre todas as Câmaras do Alto Vale.
Enquanto aponta o dedo para falha dos outros, José Thomé esqueceu de fazer suas próprias lições de casa em Rio do Sul (SC). Adivinha quem paga pelo descaso e pelas lambanças dos políticos na última cheia...