- A informação que gera opinião!

CHAMOU A ATENÇÃO: Prefeitura do Alto Vale gastará quase R$ 50 mil com 100 linhas de celular

A maioria das empresas privadas, por questão de economia, não dá tal privilégio. Elas até exigem que seus trabalhadores tenham as próprias linhas telefônicas para a eventualidade de algum chefe precisar chamar fora de hora. Enquanto isso, instituições públicas costumam desembolsar recursos com os chamados ‘telefones funcionais’, mesmo já gastando com serviços de internet - por fibra ou rádio -, tecnologia que permite ampla comunicação e prestação de serviços. Tantas linhas telefônicas móveis são necessidade ou desperdício? Afinal, acabam gerando mais um custo que recai sobre os pagadores de impostos. Você concorda com esse tipo de gasto do dinheiro do contribuinte?

Por Redação

11 de fevereiro de 2022

às 16:00

Compartilhe

 Em plena crise econômica, chamou a atenção que o prefeito de Ibirama (SC), Adriano Poffo (MDB), contratou “serviços de telefonia móvel pessoal” para “100 linhas individuais” destinadas ao “uso no serviço operacional e administrativo das secretarias” municipais. O valor inicial do contrato com a Telefônica Brasil S.A., sediada em São Paulo, é de R$ 47.880,00.

 Há poucos dados sobre o acordo no Portal da Transparência da prefeitura. A maior parte das abas do sistema – criado para postar informações públicas de direito dos cidadãos -, está vazia. Nem o edital da licitação aparece.

 Apenas é permitido saber alguns detalhes. Entre eles, que a vigência do contrato vai de 31 de janeiro de 2022 a 31 de janeiro do próximo ano, que se trata de um negócio feito na modalidade de pregão eletrônico e que os recursos sairão da Secretaria de Administração e Finanças.

 Mistérios 

 Não se sabe se o pacote acertado com a empresa inclui oferta ilimitada de ligações e dados móveis ou se haverá acréscimo de cobrança em caso de consumo extra.

 A equipe do Alto Vale Agora realizou uma ampla procura no Portal da Transparência em busca de uma resposta: será que a prefeitura de Ibirama gastará ainda mais dinheiro para comprar aparelhos novos e dar suporte à centena de “linhas individuais” de celulares que adquiriu?

 Como “não existem anexos para a Licitação selecionada” na plataforma pública, não dá pra saber.

 Mas, por enquanto, não encontramos nenhum outro acordo tratando da possibilidade dessa aquisição paralela.

 ‘Alô, é da prefeitura?’

 Outra dúvida permanece para a nossa reportagem: será que o executivo divulgará uma lista pública com os números telefônicos e o nome das pessoas e unidades que receberão as linhas?

 Afinal, como é o povo que pagará essa despesa, nada mais justo que o cidadão, em caso de necessidade ou emergência, também possa telefonar diretamente para os servidores privilegiados. Em regime de plantão, mesmo fora do horário do expediente. Não acha?

 Diante dos mistérios, informamos ao internauta que estamos de olho…

 Necessidade ou mordomia?  

 Na sua opinião, instituições públicas deveriam disponibilizar os chamados telefones funcionais, mesmo já gastando com toda a tecnologia de comunicação permitida pela internet?

 Tais linhas são necessidade, questão de segurança, ou é mais uma das muitas mordomias pagas pelo povo?

 Você concorda com esse tipo de gasto do dinheiro do contribuinte?

 Quando estão fora das repartições, servidores públicos poderiam usar os seus próprios telefones para receber chamadas do executivo, como faz a maioria dos trabalhadores do setor privado?

 Algumas linhas de emergência podem até ser necessárias, mas CEM não é demais para Ibirama?

 Comente! O portal Alto Vale Agora agradece a sua participação!

 Espaço aberto

 Como o Portal da Transparência de Ibirama não traz detalhes do contrato como deveria, o Alto Vale Agora deixa o espaço aberto para a prefeitura esclarecer as nossas dúvidas, que são as mesmas de um cidadão que acessa a plataforma pública do município.

 Assim que recebermos as explicações, levaremos elas ao seu conhecimento.

 (Contrato Superior: 6/2022 | Licitação: 5/2022 | Modalidade: Pregão Eletrônico)

 Fonte: Redação

Últimas notícias

Canetada tinha “atualizado” auxílios de custo de viagens dele, do vice e de secretários, mas pegou mal - e pressão fez político recuar.
Estratégia pretendia apresentar defesa no caso de uma fábrica denunciada por mau cheiro e barulho, mas ‘o tiro saiu pela culatra’.
Novidade chegou para facilitar o fim da poeira e da lama – com custo bem menor – e já virou modelo em municípios da região que se inspiraram no amplo...