- A informação que gera opinião!

Chefe de facção e duas mulheres foram condenados por tortura e homicídio

A adolescente de 17 anos foi morta porque teria denunciado uma das rés por tráfico de drogas e por um envolvimento amoroso.

Por Redação

16 de agosto de 2021

às 13:20

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 Integrantes de uma facção criminosa que mataram uma adolescente em São Francisco do Sul foram condenados por tortura e homicídio duplamente qualificado. O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação em sessão do Tribunal do Júri da Comarca de São Francisco do Sul nesta sexta-feira (13/8). 

 Conforme a denúncia da 2ª Promotoria de Justiça, o chefe de uma organização criminosa deu o aval e orientou as duas mulheres para matassem a jovem de 17 anos, com a ajuda de outras adolescentes.

 Uma das rés acreditava que a jovem teria sido a responsável por denunciá-la por envolvimento com o tráfico de drogas. A vítima também já havia se relacionado com o atual companheiro da mulher, o que causava ciúmes na acusada.

 O grupo utilizou a proximidade da vítima com outros três adolescentes para convidá-la para uma festa na casa do chefe da facção. Chegando ao local, a adolescente foi surpreendida pelas duas mulheres que integravam a facção e pelos adolescentes, que amarraram as mãos e os pés da vítima com panos. 

 A jovem foi agredida e sofreu diversos ferimentos. Seguindo ordens do chefe da facção, o grupo torturou a adolescente e a levou para uma região afastada, em uma área de mangue. No local, as mulheres autorizaram que uma das adolescentes atirasse na cabeça da vítima.

 O crime ocorreu em 2 de maio de 2017 em São Francisco do Sul. O chefe da facção estava preso na época dos fatos, mas participou ativamente na articulação do homicídio e cedeu a própria casa para a execução do crime.

 O Promotor de Justiça Diogo Luiz Deschamps sustentou a motivação torpe e a dissimulação utilizada pelos réus. “Tratou-se de crime bárbaro, em que os réus determinaram o fim da vida de uma adolescente por descumprimento de regras inventadas pela organização criminosa. Em que pese passados mais de quatro anos da prática dos fatos, o caso de hoje também faz parte de todo o esforço do sistema judiciário, órgãos de segurança pública e da comunidade de São Francisco do Sul ao combate a organizações criminosas em nosso município. O resultado do veredicto popular só valida e dá grande força a todos que trabalham nessa seara e garante que o nome da vítima receba justiça”.

 O Conselho de Sentença considerou os três réus culpados por crime de tortura e homicídio duplamente qualificado – por motivo torpe e por dissimulação. O grupo também foi condenado por corrupção de menores.

 O chefe da organização criminosa, que foi mandante do crime, foi condenado a 20 anos, 2 meses e 20 dias de reclusão. A mulher que tinha envolvimento com tráfico foi condenada a 17 anos de reclusão. A outra mulher faccionada foi condenada a 15 anos de reclusão.

 Os condenados estavam presos preventivamente e não poderão recorrer em liberdade. O processo tramita em segredo de justiça. A decisão é passível de recurso.

 Fonte: MPSC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

O desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann é o relator da apelação.
Sentenças em ações ajuizadas pelo MPSC determinam reformas em uma escola estadual e sete escolas municipais. Decisão também manteve interdição de quadra de esportes e auditório da escola devido ao risco estrutural, já estabelecida por meio de medida liminar.
A sentença foi prolatada pelo juiz em atividade na Vara Única da comarca de Rio do Oeste.