- A informação que gera opinião!

Comissão especial sobre regulamentação de ações contra terroristas realiza primeira audiência

O autor do requerimento é o deputado Paulão (PT-AL).

Por Redação

12 de agosto de 2021

às 12:00

Compartilhe

 A comissão especial que analisa o Projeto de Lei 1595/19, que regulamenta as ações estatais de prevenção e combate a ações terroristas no Brasil, promove sua primeira audiência pública sobre o tema nesta quinta-feira (12).

 Para o deputado Paulão (PT-AL), autor do requerimento para realização desse debate, a proposta não altera o texto da Lei Antiterrorismo, mas “avança sobre outros diplomas legais [Estatuto da Cidade e Lei de Proteção a Vítimas e Testemunhas] e introduz inovações para além do campo jurídico-normativo, sobretudo de caráter fático, materializadas em políticas e estruturas estatais”.

 O deputado considera a matéria “complexa, controversa, desafiadora, que demanda do Parlamento responsabilidade, serenidade e, sobretudo, respeito aos princípios democráticos”.

 O projeto

 O projeto, do deputado Vitor Hugo (PSL-GO), cria um Sistema Nacional Contraterrorista (SNC) para coordenar ações de inteligência para prevenir a formação de células terroristas no Brasil e também treinamento para as ações a serem executadas na iminência, durante ou logo após um eventual atentado.

 O Legislativo será responsável pelo controle e fiscalização das ações contraterroristas, inclusive por analisar a Política Nacional Contraterrorista (PNC) antes de o presidente da República implementá-la.

 A proposta sofre críticas porque protestos e ações de movimentos sociais podem ser classificados como atos terroristas por causa da legislação.

 Roteiro de trabalho

 A comissão foi instalada no final de junho e é presidida pelo deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES).

 O plano de trabalho apresentado pelo relator, deputado Sanderson (PSL-RS), prevê a realização de audiências públicas e de visitas técnicas no começo de agosto e a apresentação do parecer preliminar na última semana do mês.

 A discussão e a votação do texto estão previstas para o início de setembro, tendo o dia 17 como prazo final.

 Fonte: Agência Câmara de Notícias

Últimas notícias

Ao responsabilizar secretária Rozi Terezinha de Souza pela irregularidade envolvendo servidor que não bateu ponto no intervalo do almoço durante um ano, Eder Ceola foi enfático: “Ela tem que devolver esses R$ 7 mil [que o médico faturou a mais por mês] para o povo.” E acrescenta: “O que mais me deixa triste, é que dava pra tirar todas as filas da ressonância” com o dinheiro das horas extras pagas ao especialista de forma indevida.
Gestor público taioense terá que se empenhar bem mais para garantir a liberação de outros R$ 6 milhões necessários à construção do anexo do Hospital e Maternidade Dona Lisette e cumprir promessa de instalação de uma UTI no quinto andar do futuro bloco.
Para vergonha da sua gestão, Horst Alexandre Purnhagen (MDB) mantém o fracasso que vem do mandato anterior. O político ainda não conseguiu concluir uma simples ponte estaiada bem no coração da cidade. E o pior: um aditivo, recém-assinado, fez o custo do serviço aumentar R$ 470 mil.