- A informação que gera opinião!

Confira o calendário de 2ª dose até o final de setembro em Rio do Sul

A vacinação em forma de Drive-Thru é realizada no Centro de Eventos Hermann Purnhagen.

Por Redação

14 de setembro de 2021

às 13:40

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 A Secretaria de Saúde de Rio do Sul continua a realização de Drive-thrus de aplicação de segunda dose da vacinação contra a Covid-19 para as pessoas que receberam a primeira delas no mesmo esquema. Será sempre no Centro de Eventos Hermann Purnhagen, no bairro Canta Galo, e é importante que a pessoa leve documento pessoal com foto e o cartão de vacinação recebido na primeira aplicação.

 A secretária de Saúde de Rio do Sul, Roberta Hochleitner, reforça a importância da pessoa imunizada com a primeira dose, receber o reforço quando indicado pela fabricante. Somente assim completa-se a imunização proposta e a pessoa está mais segura contra a infecção da Covid-19;

Calendário de setembro – 2ª dose da vacina em Drive-Thru

Sempre no Centro de Eventos Hermann Purnhagen

14 de setembro – Das 17h às 19h

Público: Pessoas de 48 e 49 anos

Vacina recebida: Pfizer

Data da primeira dose: 28 de junho

18 de setembro – Das 8h às 12h

Público: Pessoas de 40 a 49 anos

Vacina recebida: Astrazeneca

Data da primeira dose: 10 de julho

29 de setembro – Das 17h às 19h

Público: Profissionais da indústria

Vacina recebida: Astrazeneca

Data da primeira dose: 22 de julho

30 de setembro – Das 17h às 19h

Público: Pessoas de 35 a 39 anos

Vacina recebida: Pfizer

Data da primeira dose: 13 de julho

Informações sobre a vacinação contra a Covid-19 em Rio do Sul: https://bit.ly/painelvacinariodosul

 Fonte: Departamento de Comunicação, Prefeitura de Rio do Sul

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

As regras para contratações temporárias e os instrumentos de cooperação com a iniciativa privada estão entre os pontos mais criticados pela oposição.
Santa Catarina possui armazenado na Rede de Frio um total de 303.0320 doses da Pfizer.
Quase oito meses após o início dos trabalhos, estado enfrenta ‘apagão de informação’. DIVE alega que ainda não há números sobre reações adversas provocadas pelos imunizantes disponíveis ao público.