- A informação que gera opinião!

Descaso: Secretaria Municipal de Saúde deixa faltar médicos e comunica, em seco, seu próprio erro que ameaça vidas em Taió

Alto risco ronda pacientes das Unidades Básicas de Saúde Vila Mariana e Centro/Palmital. Aviso foi divulgado em nome da secretária de Saúde, Rozi Terezinha de Souza. Mensagem tenta amenizar a gravidade da situação ao informar que locais de atendimento estão “temporariamente sem médicos”. Como se tal circunstância não fosse um absurdo inadmissível. O anúncio nem sequer diz quando novos profissionais assumirão as vagas. Apenas sustenta que Rozi “já” tomou providência. Mas, diante de tamanha ameaça, o portal Alto Vale Agora troca o “já” de Rozi por um “POR QUE” dirigido à secretária. Leia e entenda...

Por Redação

24 de fevereiro de 2022

às 08:00

Compartilhe

 Em plena pandemia de Covid-19, a Secretaria de Saúde de Taió (SC) deixou faltar médicos em importantes Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município, incluindo a da região central da cidade. Grave, a deficiência coloca em risco vidas de pacientes.

 O problema apareceu em um comunicado de poucas linhas – escrito de modo precário, aparentemente, por alguém com pressa -, e que veio através de veículos de comunicação que divulgam atos da prefeitura.

 A mensagem informa: “A Secretária de Saúde de Taió, Rozi de Souza, comunica que as Unidade Básica de Saúde (UBS’s) da Vila Mariana e do Centro/Palmital estão temporariamente sem médico. Uma nova chamada de médicos já está sendo feita”. E termina: “As consultas de enfermagem, odontológicas e demais procedimentos prestados continuam com atendimento normal.”

 Apesar da situação altamente preocupante, o aviso não explica o motivo. Além disso, nem sequer dá o cronograma de contratação e início das atividades dos novos profissionais para sanar o problema.

 A nota também não revela nenhuma ação emergencial para contornar a severa deficiência como, por exemplo, a criação de uma escala de remanejamento de profissionais ou a indicação de alternativa aos pacientes.

 Ou seja, não bastasse o risco representado pelas questões de saúde de muitas pessoas, agora, a ameaça é a falta de profissionais habilitados para garantir o tratamento de doentes e reduzir a possibilidade de complicações e até de mortes.

 Enquanto a Secretaria de Saúde vai arriscando, os pacientes ficam à mercê da própria sorte.

 “Já”

 Os comunicados das autoridades, com frequência, utilizam a palavra “já”.

 É o caso da mensagem acima informando que uma nova chamada de médicos “já” está ocorrendo.

 Com essas duas letras (e um acento agudo) de uso batido, os gestores, em geral, tentam esconder suas responsabilidades e transmitir para a população a ideia de competência e agilidade na solução de problemas que recaem sobre seus ombros.  

 No entanto, o termo mais adequado – também neste caso -, não parece ser “já”, mas, sim, o vocábulo “por que”, de pergunta.

 Então… afinal, POR QUE a secretária Rozi Terezinha de Souza deixou a situação da saúde pública chegar nesse nível caótico – a ponto de colocar sob ameaça vidas de pacientes taioenses?

 Muito além de um furtivo “já”…

 Palavras transparentes. É isso que os pacientes e o povo taioense merecem ouvir.

 Por isso, o portal Alto Vale Agora deixa o espaço aberto para a secretária dar explicações – completas e convincentes, claro.

 Fonte: Redação

Últimas notícias

Canetada tinha “atualizado” auxílios de custo de viagens dele, do vice e de secretários, mas pegou mal - e pressão fez político recuar.
Estratégia pretendia apresentar defesa no caso de uma fábrica denunciada por mau cheiro e barulho, mas ‘o tiro saiu pela culatra’.
Novidade chegou para facilitar o fim da poeira e da lama – com custo bem menor – e já virou modelo em municípios da região que se inspiraram no amplo...