- A informação que gera opinião!

Dupla é condenada a 50 anos de prisão por latrocínio contra idoso

Segundo a denúncia, o crime ocorreu no bairro Operária Nova, em Criciúma.

Por Redação

30 de julho de 2021

às 10:00

Compartilhe

 O juízo da 1ª Vara Criminal da comarca de Criciúma condenou dois homens, de 45 e 39 anos, por latrocínio contra um idoso de 62 anos, ocorrido em janeiro deste ano. As penas somadas alcançam 50 anos de prisão.

 Segundo a denúncia, o crime ocorreu no bairro Operária Nova, na cidade-sede da comarca, quando os dois acusados teriam aceitado realizar um programa sexual na casa da vítima. Após um desacordo sobre o pagamento do serviço e já com o intuito de subtrair bens, eles teriam se aproveitado de que o idoso estava de costas e o estrangulado com um fio de extensão elétrica.

 A dupla fugiu do local com diversos itens subtraídos. A vítima foi abandonada com braços e pernas amarrados com fios e um cinto. Além disso, no mesmo dia, os agressores teriam vendido o celular da vítima para um casal.

 Os dois réus foram condenados por latrocínio, respectivamente, às penas de 30 e 20 anos de reclusão, em regime inicial fechado. O direito de recorrer em liberdade foi negado a ambos. O casal que adquiriu o celular roubado da vítima foi condenado a um ano de reclusão, em regime aberto, e ao pagamento de 10 dias-multa, pelo crime de receptação. Cabe recurso da decisão ao TJSC.

 Fonte: TJSC

Últimas notícias

Suspeita de fraude milionária com recursos federais envolve entidade de assistência social contratada por duas prefeituras catarinenses entre 2014 e 2016 e que, depois, com outro nome, firmou contrato com uma terceira prefeitura entre 2018 e 2020. Operação foi deflagrada em oito municípios.
Docente teria constrangido adolescentes a tal ponto que elas não queriam mais entrar na sala de aula. Fonte contou ao portal Alto Vale Agora que as estudantes relataram olhares insinuantes e piadas sujas dele no ambiente escolar.
Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.