- A informação que gera opinião!

Em trapalhada mitológica, vereadores ‘pagam mico’ diante de Bolsonaro ao viajar a Brasília usando dinheiro público

Em plena pandemia, quinteto gastou mais de R$ 20 mil para protocolar ofícios. Só este ano, despesas na Câmara já ultrapassam R$ 600 mil.

Por Redação

3 de setembro de 2021

às 11:40

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 Usando recursos públicos para viajar a Brasília, uma comitiva de vereadores de Pouso Redondo (SC), aparentemente sem noção sobre a forma correta de encaminhamento de reivindicações ao governo federal, produziu um momento constrangedor. O “mico” ocorreu durante uma abordagem tosca ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no chamado “cercadinho” do Palácio da Alvorada, e foi registrado em vídeo pelos políticos.

 Na gravação, é possível ouvir uma pergunta que, apesar de interessar aos catarinenses, é feita de maneira inoportuna: “Presidente, tem como pedir para o ministro dar uma olhada na BR-470? É o vereador Gilmar [Junkes (PDT)] que está pedindo”.

 Bolsonaro, bem-humorado, porém explícito, balança a cabeça em sinal de negativa e dá um “chega pra lá” ao responder: “Vereador, não dá pra pegar os problemas particulares… Se eu começar a atender, amanhã vai ter 50 vereadores aqui”, reclama o chefe do Poder Executivo, demonstrando, com o puxão de orelha, querer livrar-se da situação. Na sequência, caçoa: “Assim tu vais fazer campanha, pô!”, ri Bolsonaro; e completa: “Fala com um [deputado] federal teu”, recomenda o presidente enquanto pode ser visto afastando-se do grupo.

 Sem perceber o vexame – e talvez achando que falar com o presidente, assim, tão de perto, foi um feito heroico -, os vereadores tiveram a coragem de postar o vídeo do diálogo desastrado que circula nas redes sociais. VEJA!

 Não tem graça

 A fanfarrice da comitiva de Pouso Redondo em Brasília anula qualquer vontade de rir do episódio atrapalhado na presença de Bolsonaro. Basta observar o custo total da estrutura da Câmara de Vereadores do município catarinense até 30 de agosto de 2021: R$ 607.314,48.

 Parte desses gastos inclui viagens, como a do mês passado. Em geral, tais excursões são barulhentas, oportunistas e motivadas para promoção pessoal. No final, resultam improdutivas e acumulam prejuízos.

 Isso não, né?

 Em vez de desperdiçar dinheiro público com carro oficial, combustível, passagens aéreas e diárias, os pedidos de recursos poderiam simplesmente ser encaminhados por meio de Sedex ou utilizando ferramentas tecnológicas: telefone e e-mail, além da possibilidade de realização de videoconferências com deputados federais e senadores, alternativas que surtiriam o mesmo efeito.

 Além do mais, ao desprezarem meios baratos e também mais seguros para reivindicar, especialmente em tempos de pandemia, os vereadores deixam de exercer sua obrigação de fiscalizar enquanto vão a Brasília para protocolar ofícios.

 Quinteto: Viagem teve gastos de R$ 20,5 mil

 Os quatro vereadores e o chefe de gabinete que foram de Pouso Redondo a Brasília, de 16 a 19 de agosto, gastaram na viagem R$ 20.559,85. Na prática, cada um dos cerca de 40 ofícios que dizem ter protocolado na capital federal teve o custo astronômico de R$ 500,00.

 O quinteto reuniu o presidente da Câmara, Ricardo Rafael Paterno (PSDB), e os vereadores Aldir Figueredo (PSD), Gilmar Junkes (PDT) e Luis Fernando da Silva (PL), além do chefe de gabinete Jackson Maciel de Moraes.

 Cada um deles ganhou R$ 2.450,00 de diárias, somando R$ 12.250,00. As passagens aéreas custaram outros R$ 7.657,20, aumentando a conta para R$ 19.907,20. O veículo Fiat Doblò, de propriedade do legislativo, usado para levar o grupo até um aeroporto e, depois, buscá-lo em outro, queimou mais R$ 652,65, totalizando os R$ 20,5 mil.

 Videozinho: Sem mostrar garantia de verbas, gravação diz que “nosso presidente nos recebeu”

 Apesar das despesas, que serão pagas pelos contribuintes, e mesmo sem anunciar o recebimento de garantias de auxílio financeiro para o município de Pouso Redondo, os quatro vereadores ainda fizeram questão de aparecer em um videozinho.

 Gravado no último dia da visita, aparentemente já no aeroporto, o material, postado no perfil do Facebook do presidente do legislativo Ricardo Rafael Paterno, resume a “passada” por Brasília.

 Inclusive, em um dos trechos, o vereador Gilmar Junkes considera que “o nosso presidente nos recebeu”, referindo-se à mera abordagem inadequada e infrutífera a Bolsonaro, no “cercadinho”, em frente ao Palácio da Alvorada. VEJA!

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2288399497957268&id=100003617198989&sfnsn=wiwspmo

 Câmara tem motorista, mas escalou outro servidor

 Além do luxo de um carro oficial à disposição dos vereadores, a Câmara de Pouso Redondo conta com motorista exclusivo para transportar seus parlamentares.

 Porém, não foi Luiz Gonzaga Steil quem levou e buscou a comitiva nos aeroportos e, sim, outro servidor público: Edrich de Campos.

 O funcionário representou despesa extra de R$ 225,00. Edrich recebeu uma diária (R$ 150,00) para levar o grupo ao aeroporto de Florianópolis, no dia 16 de agosto; e meia-diária (R$75,00), dia 19, para buscar o quinteto no aeroporto de Navegantes.

 Também no Facebook – mas sem abordar nada sobre os gastos da viagem e nem a respeito da ausência do motorista exclusivo -, o texto na página oficial da Câmara de Vereadores enaltece o cumprimento de “uma agenda muito intensa” em Brasília.

 Diárias, diárias, diárias…

 Somente através do recebimento de diárias, do início de 2017 até agosto de 2021, os vereadores de Pouso Redondo embolsaram R$ 146.955,00.

 Neste período de quase cinco anos, o recorde em diárias consumidas foi registrado em 2017: R$ 62.510,00. O segundo maior gasto, no ano seguinte, 2018, chegou a R$ 56.670,00. Apenas em 2020 o valor aparece, surpreendentemente, zerado.

 Apetite

 Além dos gastos com viagens, as despesas da Câmara de Vereadores com itens de supermercado acumulam R$ 23.787,80, do início de 2017 até agosto deste ano.

 Nos primeiros 8 meses de 2021, os comes e bebes dos parlamentares do município do Vale Oeste já consumiram R$ 4.157,39.

 A verdade, somente a verdade, nada além da verdade

 Na semana passada, o portal Alto Vale Agora havia entrado em contato com a Câmara de Vereadores de Pouso Redondo.

 A equipe de reportagem queria saber quantos parlamentares do município iriam viajar para participar da “Marcha dos Legislativos/2021”, evento que foi promovido pela União dos Vereadores do Brasil (UVB), de 24 a 27 de agosto, em Brasília.

 Em resposta, a assessoria do legislativo pousoredondense informou que nenhum parlamentar foi liberado, destacando que o objetivo é economizar verba pública.

 Porém, na ocasião, a mesma assessoria omitiu a viagem realizada pelos quatro vereadores e o chefe de gabinete na semana anterior, mas acabamos descobrindo e abordando nesta matéria.

 Estamos observando!

 Fonte: Da Redação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

“Há fundadas razões para que tenha ocorrido direcionamento no procedimento licitatório”, “superfaturamento” e custos quase triplicados em contrato de R$ 1,36 milhão, alerta representação encaminhada por Eder Ceola.
Dirigindo no conforto da ‘nave’ paga pelo povo, agora, Cesar Panini, talvez, poderá enxergar melhor – através dos grandes vidros do luxuoso SUV zero km - que a crise enfrentada pelos trabalhadores só cresce na pandemia.
Imagem que viraliza na internet mostra prefeito e seis vereadores em banquetaço - aglomerados, sem máscara, sorridentes e com suas barrigas salientes. Grupo custa mais de R$ 2,5 milhões aos cofres públicos durante mandato.