- A informação que gera opinião!

Erros perturbadores em letreiro de escola e em placas entre municípios saltam aos olhos no Alto Vale

Errar é humano, mas também pode ser muito chamativo. Ainda mais quando a falha escapa do controle de instituições das quais se espera domínio da língua portuguesa.

Por Redação

7 de janeiro de 2022

às 14:20

Compartilhe

“Corona vírus” e “prevína-se”. Com dois erros de ortografia, as duas palavras talvez não chamassem tanto a atenção se não fosse o local onde o banner com informações de combate à Covid-19 foi afixado: justamente ao lado da porta principal de entrada de uma importante escola do Alto Vale do Itajaí e bem diante dos olhos de todo mundo que passa na rua em frente da unidade escolar.

Com dois erros, letreiro na entrada de escola chama a atenção de quem passa pela rua. (Foto: Alto Vale Agora)

Em tese, uma instituição de ensino tem profissionais que, melhor do que ninguém, dominam as regras da língua portuguesa.

Ainda assim, neste caso, tudo indica que as falhas escaparam do controle de revisão dos educadores.

Afinal, a maneira correta de escrever as duas palavras em questão é: “coronavírus”, sem a separação dos elementos, e “previna-se”, vocábulo que não leva acento agudo no “i”.

Os ‘deslizes’ ficaram registrados no letreiro colocado na parede junto ao acesso à Escola de Educação Básica Leopoldo Jacobsen, no bairro Seminário, em Taió, no Alto Vale do Itajaí (SC).

“Divisa” entre municípios?

Placa apresenta conceito errado para demarcar territórios municipais. (Foto: Alto Vale Agora)

Outro erro que salta aos olhos está às margens da Rua XV de Novembro, em placas que servem para demarcar os territórios de Rio do Sul e Agronômica, também no Alto Vale (SC).

Neste caso, aparece escrito na sinalização a palavra “divisa”.

Porém, o conceito correto para designar a separação de dois municípios é “limite”.

Já “divisa” é um termo usado para definir a separação de dois Estados, por exemplo: a divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Viu?

E você, já constatou muitos erros de ortografia ou gramática em placas, painéis ou letreiros no seu município?

Conte pra gente nos comentários!

A equipe do portal Alto Vale Agora agradece a sua participação.

Fonte: Redação

Últimas notícias

Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.
Campeã da gastança na atual legislatura, vereadora “Solange dos Doces” (PP) já vampirou, sozinha, R$ 71 mil dos cofres públicos; mas comilança de dinheiro dos contribuintes já infectou todo o legislativo municipal, maior devorador de recursos entre todas as Câmaras do Alto Vale.
Enquanto aponta o dedo para falha dos outros, José Thomé esqueceu de fazer suas próprias lições de casa em Rio do Sul (SC). Adivinha quem paga pelo descaso e pelas lambanças dos políticos na última cheia...