- A informação que gera opinião!

EXCLUSIVO: Salários de prefeitos no Alto Vale deverão custar R$ 24,6 milhões neste mandato, aponta estimativa

Só em maio de 2022, remuneração dos 28 gestores municipais consumiu quase meio milhão de reais. Saiba quem são os campeões de ganhos na região.

Por Redação

1 de julho de 2022

às 13:24

Compartilhe

 A remuneração total dos 28 prefeitos dos municípios do Alto Vale do Itajaí (SC) deverá custar aos contribuintes, no mínimo, cerca de R$ 24,6 milhões neste mandado, de janeiro de 2021 a dezembro de 2024. No entanto, o montante final de gastos com o salário dos gestores promete ser ainda maior do que essa estimativa, pois, apesar de os vencimentos terem sido um pouco menores no ano passado, nos próximos dois anos são esperados reajustes.

 A projeção – feita com exclusividade pelo Alto Vale Agora – tem como base os dados salariais disponibilizados pelas prefeituras da região nos portais da transparência.

 A referência é maio passado. Naquele mês, a soma de todas as remunerações dos administradores municipais chegou a R$ 474.179,37 – quase meio milhão de reais.

 O cálculo, que leva em conta o pagamento de décimo terceiro, não inclui custos com diárias, despesas com transporte e locomoção e outros gastos.

 Os vencimentos são legais, mas surpreendem. O maior deles, por exemplo, paga – em apenas um mês – uma montanha de dinheiro que um assalariado precisa trabalhar duro até outubro de 2024 para conseguir juntar.

 ‘Top 10’: Quem ganha mais?

 Disparado na liderança do ranking, o prefeito de Rio do Sul, José Thomé (PSD), tem o maior salário de todos os gestores no Alto Vale – valor que também chama a atenção em níveis estadual e nacional. Em maio de 2022, ele recebeu remuneração bruta de R$ 33,7 mil. Para ganhar o valor que foi pago por apenas 30 dias de atuação do político, um trabalhador que recebe o salário mínimo – atualmente em R$ 1.212,00 -, tem que suar a camisa por dois anos e três meses, prazo que emparelha com a reta final do mandato oficial de Thomé.

José Thomé é recordista de valor de salário entre todos os prefeitos no Alto Vale. (Foto: Divulgação)

 Em segundo lugar aparece o prefeito de Taió, Horst Alexandre Purnhagen (MDB): R$ 22 mil por mês. Em terceiro, o de Ituporanga, Gervásio José Maciel (PP): R$ 21,4 mil mensais.

Purnhagen (2º) e Maciel (3º). (Fotomontagem: Alto Vale Agora)  

 Nelson Virtuoso (MDB), de Presidente Getúlio, é o quarto colocado, com remuneração de R$ 20 mil. Em quinto, a lista aponta Rafael Neitzke Tambozi (União Brasil), de Pouso Redondo: R$ 19,85 mil. Colado, na sexta colocação, surge Vidal Balak (PSD), de Rio do Campo: R$ 19,82 mil.

Virtuoso (4º), Tambozi (5º) e Balak (6º). (Fotomontagem: Alto Vale Agora)  

 O sétimo é o prefeito de Ibirama, Adriano Poffo (MDB): R$ 19,4 mil por mês. A prefeita de Salete, Solange Aparecida Bitencourt Schlichting (PL), é a oitava colocada: R$ 18,9 mil. Encostado, em nono lugar, aparece o gestor municipal de José Boiteux, Adair Antonio Stollmeier (PP): R$ 18,8 mil mensais.

Poffo (7º), Solange (8ª) e Stollmeier (9º). (Fotomontagem: Alto Vale Agora)  

 Por fim, a lista dos dez maiores salários fecha com o prefeito de Vidal Ramos, Nelson Back (PSD): R$ 17,8 mil.

 Back (10º) encerra o ranking ‘Top 10’. (Fotomontagem: Alto Vale Agora)  

 Outros 17 prefeitos têm proventos brutos entre R$ 17,4 mil e R$ 11,8 mil no Alto Vale.

 O menor salário

 De acordo com o levantamento, o prefeito de Mirim Doce, Bernardo Peron (PSD), recebe o menor salário entre os 28 prefeitos no Alto Vale.

 A remuneração bruta do “Tio Bê”, como é conhecido, é de R$ 8.443,12. Com os descontos, o valor (líquido) baixa para R$ 6.390,05. A jornada é de “200 horas” mensais.

 Recentemente, o administrador municipal já havia surpreendido. Peron destacou-se como o único prefeito da região que ainda não deu aos contribuintes nenhum centavo de gastos com diárias e locomoção neste mandato, de acordo com o Portal da Transparência e da assessoria dele.

 “Tio Bê”: o menor salário de prefeito na região. (Divulgação)  

 Veja quanto ganha cada prefeito no Alto Vale

 Abaixo, listamos os ganhos de cada gestor municipal. Confira a situação na prefeitura da sua cidade por ordem alfabética.

AGROLÂNDIA: José Constante (PP). Bruto: R$ 16.949,27. Líquido: R$ 12.557,01 (200h).

AGRONÔMICA: Cesar Luiz Cunha (PSDB). Bruto: R$ 17.119,78. Líquido: R$ 12.680,62 (200h).

ATALANTA: Juarez Miguel Rodermel (MDB). O único valor publicado no Portal da Transparência é de R$ 13.176,92 (220h). Obs.: Procurada, a prefeitura exigiu formalização por e-mail para liberar a informação – que é pública.

AURORA: Alexsandro Kohl (MDB). Bruto: R$ 13.624,53. Líquido: R$ 10.250,84 (220 horas). Obs.: Cálculo líquido feito com base nos descontos informados no Portal da Transparência e dados confirmados pelo Dpto. Pessoal.

BRAÇO DO TROMBUDO: Nildo Melmestet (MDB). Bruto: R$ 16.132,56. Líquido: R$ 12.017,03 (200h). Obs.: Com a prefeitura anteriormente havia alegado que há erros no Portal da Transparência, nossa equipe contatou o executivo municipal para checar os dados. A assessoria jurídica limitou-se a responder que “dito portal foi concebido justamente para prestar informações para cidadãos, imprensa e demais interessados”.

CHAPADÃO DO LAGEADO: Abel da Silva (PP). Bruto: R$ 14.857,65. Líquido: 11.010,87 (Horas/mês – não informado).

DONA EMMA: Nerci Barp (MDB). Bruto: R$ R$ 13.302,01. Líquido: R$ 9.912,74 (Horas/mês – não informado).

IBIRAMA: Adriano Poffo (MDB). Bruto: R$ 19.464,27. Líquido: R$ 14.185,74 (Horas/mês – não informado).

IMBUIA: Deny Scheidt (MDB). Bruto: R$ R$ 11.805,73. Líquido: R$ 8.827,94 (Horas/mês – não informado).

ITUPORANGA: Gervásio José Maciel (PP). Bruto: R$ 21.405,21; Líquido: R$ 15.870,06 (200h).

JOSÉ BOITEUX: Adair Antonio Stollmeier (PP). Bruto: R$ 18.859,19. Líquido: não informado (Horas/mês – não informado).

LAURENTINO: Marcelo Tadeo Rocha (MDB). Bruto: R$ 15.874,92. Líquido: R$ 11.778,10 (200 horas).

LONTRAS: Marcionei Hillesheim (MDB). Bruto: R$ 16.798,08. Líquido: não informado (Horas/mês – não informado).

MIRIM DOCE: Bernardo Peron (PSD). Bruto: R$ 8.443,12. Líquido: R$ 6.390,05 (200 horas).

PETROLÂNDIA: Irone Duarte (PP). Bruto: R$ 14.478,42. Líquido: R$ 10.765,64 (200 horas). Obs.: Informado pelo Dpto. Pessoal.

POUSO REDONDO: Rafael Neitzke Tambozi (União Brasil). Bruto: R$ 19.856,76. Líquido: 14.664,94 (Horas/mês – não informado).

PRESIDENTE GETÚLIO: Nelson Virtuoso (MDB). Bruto: R$ 20.091,44. Líquido: R$ 14.835,07 (175 horas).

PRESIDENTE NEREU: Celso Augusto Vieira (MDB). Bruto: R$ 13.290,10. Procurado, o RH da prefeitura informou: “Só podemos passar o [valor] bruto que está no portal”, e não o salário líquido (Horas: “dedicação exclusiva”).

RIO DO CAMPO: Vidal Balak (PSD). Bruto: R$ 19.825,83. Líquido: R$ 14.642,50 (200 horas).

RIO DO OESTE: Diogo Ferrari (PP). Bruto: R$ 15.482,23. Líquido: R$ 11.493,40 (200 horas).

RIO DO SUL: José Thomé (PSD). Bruto: R$ 33.793,64. Líquido: R$ 27.241,07 (200 horas).

SALETE: Solange Aparecida Bitencourt Schlichting (PL). Bruto R$ 18.928,61. Líquido: R$ 14.044,16 (Horas/mês – não informado).

SANTA TEREZINHA: Genir Junckes (MDB). Bruto: R$ 15.117,85. Líquido: R$ 11.229,23 (200 horas).

TAIÓ: Horst Alexandre Purnhagen (MDB). Bruto: R$ 22.059,64. Líquido: R$ 16.262,02 (200 horas).

TROMBUDO CENTRAL: Geovana Gessner (MDB). Bruto: R$ 17.454,30. Líquido: R$ 12.975,29 (200 horas). Obs.: Informações de salário líquido e horas mensais repassadas pelo Depto. Pessoal. 

VIDAL RAMOS: Nelson Back (PSD). Bruto: R$ 17.861,05. Líquido: R$ 13.218,05 (Horas/mês – não informado).

VITOR MEIRELES: Bento Francisco Silvy (PP). Bruto: R$ 13.997,62. Líquido: R$ 10.417,06 (200 horas). Obs.: Informado pelo Dpto. Pessoal.

WITMARSUM: Cesar Panini (PSD). Bruto: R$ 14.128,64. Líquido: R$ 10.668,46 (175 horas).

(Atenção: As reportagens do Alto Vale Agora refletem o olhar que o cidadão pode ter das ações públicas a partir das informações disponibilizadas nos Portais da Transparência. O serviço é determinado por força de lei. As instituições públicas estão obrigadas a publicar, em meio eletrônico e em tempo real, os dados pormenorizados sobre a execução orçamentária e financeira de suas receitas e despesas. Nossa equipe deixa espaço aberto para as assessorias de imprensa que queiram esclarecer eventuais questões que lhes pareçam inconvenientes em textos referentes à instituição que defendem.)

 Fotomontagem: Alto Vale Agora

EXCLUSIVO: Prefeitos do Alto Vale já consumiram, no mínimo, meio milhão de reais em diárias e transporte neste mandato

Últimas notícias

Canetada tinha “atualizado” auxílios de custo de viagens dele, do vice e de secretários, mas pegou mal - e pressão fez político recuar.
Estratégia pretendia apresentar defesa no caso de uma fábrica denunciada por mau cheiro e barulho, mas ‘o tiro saiu pela culatra’.
Novidade chegou para facilitar o fim da poeira e da lama – com custo bem menor – e já virou modelo em municípios da região que se inspiraram no amplo...