- A informação que gera opinião!

GAECO deflagra “Operação Deméter” e cumpre mandados no Alto Vale

Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão nas cidades de Aurora, Rio do Sul, Major Gercino, Imbuia, Ituporanga, Guaramirim e União da Vitória/PR.

Por Redação

22 de julho de 2021

às 13:30

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 Na manhã desta quinta-feira (22/07), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), em conjunto com a 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Ituporanga e a Polícia Militar de Rio do Sul, deflagrou a operação batizada como “Deméter”, realizando o cumprimento de mandados de busca e apreensão nas cidades de Aurora, Rio do Sul, Major Gercino, Imbuia, Ituporanga, Guaramirim e União da Vitória/PR.

 Ao todo, foram expedidos pela 2ª Vara da Comarca de Ituporanga 19 mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos por policiais do GAECO, com o apoio do 13º Batalhão da Polícia Militar de Rio do Sul, da Polícia Militar Ambiental, da Fazenda Estadual, do Instituto Geral de Perícias (IGP) e de técnicos da Companhia Integrada de Desenvolvimento agrícola (CIDASC).

 A 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Ituporanga e o GAECO investigam um provável esquema criminoso envolvendo a comercialização e produção ilícita de agrotóxicos. As apurações apontam na direção de possíveis crimes de organização criminosa, ambientais, e delitos específicos da Lei de Agrotóxicos. Os envolvidos comercializariam, de forma ilegal, agrotóxicos na região do Alto Vale do Itajaí e na região Oeste do Estado de Santa Catarina, bem como nas cidades paranaenses de Curitiba, Lapa, São José dos Pinhais e Quitandinha.

 O nome da operação é uma alusão à Deusa da mitologia grega que representa a agricultura, a colheita, a fertilidade e a terra cultivada. Mais detalhes da operação não podem ser revelados, pois a investigação encontra-se sob sigilo judicial.

 Fonte: MPSC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

Valor inclui multas aplicadas em ação por ato de improbidade administrativa em virtude de fraude em dispensas de licitação.
Ela foi condenada pelo crime de homicídio qualificado, ocorrido em cidade do Vale do Itajaí.
O Conselho de Sentença condenou os réus por homicídio duplamente qualificado por matarem mãe e filho carbonizados e por motivo fútil.