- A informação que gera opinião!

Homem que cometeu tentativa de homicídio em Lages motivado por rivalidade é condenado a 8 anos e 6 meses de prisão

Réu foi condenado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Lages por tentativa homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e por dificultar defesa da vítima.

Por Redação

18 de junho de 2021

às 14:10

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 O Tribunal do Júri da Comarca de Lages condenou um homem por tentativa de homicídio duplamente qualificado. A condenação ocorreu nesta quinta-feira (17/6) em sessão do Conselho de Sentença. O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) denunciou Lucas Tadeu Peixe pela tentativa homicídio de Rafael Branco de Liz e ele fosse julgado pelo Júri. 

 O crime ocorreu em fevereiro de 2020 em Lages. Lucas abordou Rafael pelas costas e disparou com uma arma de fogo. No momento do crime, Rafael conversava com outros dois amigos na rua, e não viu o réu se aproximar. Ao disparar contra o grupo, Rafael foi atingido e conseguiu correr para buscar ajuda. O réu foi motivado por razão fútil para cometer o crime, a turma a qual ele faz parte seria rival da turma que Rafael é integrante.

 Na denúncia, a Promotora de Justiça Luciana Uller Marin, destacou que o réu cometeu o crime motivado por motivo fútil, por ter sido motivado por uma rivalidade entre grupos. A Promotora ressaltou que a vítima não desconfiou do ataque, pois foi atingida pelas costas. A Promotora também frisou que o réu só não conseguiu matar a vítima, pois ele foi socorrido e recebeu atendimento médico de forma rápida.

 O Conselho de Sentença considerou o réu culpado por tentativa de homicídio duplamente qualificado pelo motivo torpe e por impossibilitar a defesa da vítima. Ele foi penalizado pela Justiça com 8 anos e 6 meses de prisão em regime fechado. A sentença é passível de recurso. Porém o réu, que permaneceu em prisão preventiva durante o curso do processo, não poderá fazê-lo em liberdade.

 Fonte: MPSC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

A agência e demais réus foram condenados​ ao pagamento de R$ 15 mil, a título de indenização por danos morais à autora.
Os valores já superam o prejuízo causado ao Estado pelas empresas em abril de 2020.
Ministério Público também aponta a necessidade de levantamento do movimento de usuários na alta e baixa temporada e que a comunidade seja ouvida antes do estabelecimento do valor da tarifa.