- A informação que gera opinião!

Homem que desferiu duas facadas em ex-companheira é condenado

A pena aplicada foi de 10 anos e oito meses de reclusão, em regime inicialmente fechado.

Por Redação

20 de julho de 2021

às 12:20

Compartilhe

 Um homem que desferiu dois golpes de faca na ex-companheira, que ainda assim conseguiu sobreviver, foi condenado por tentativa de feminicídio em sessão do Tribunal do Júri da comarca de Chapecó realizada na última sexta-feira (16/7).

 A pena aplicada foi de 10 anos e oito meses de reclusão, em regime inicialmente fechado. O réu já estava preso desde o crime, em 18 de maio de 2020. O acusado respondeu por tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio contra a ex-companheira.

 Foram cinco horas e meia de debates entre a acusação, exercida pela promotora de justiça Marina Saad Laux, e o advogado de defesa, João Darci da Silva. Os trabalhos foram presididos pelo juiz Jeferson Osvaldo Vieira. O Conselho de Sentença foi formado por sete jurados escolhidos por sorteio – quatro homens e três mulheres.

 O crime, segundo a denúncia do MP, ocorreu por volta de 4h10 do dia 18 de maio de 2020, quando a vítima desceu de um ônibus em frente a uma agroindústria, no bairro Efapi, para trabalhar. O acusado, então, desferiu dois golpes de faca na ex-companheira, que sofreu lesões graves mas, socorrida em tempo, conseguiu se recuperar posteriormente.

 Fonte: TJSC

Últimas notícias

Suspeita de fraude milionária com recursos federais envolve entidade de assistência social contratada por duas prefeituras catarinenses entre 2014 e 2016 e que, depois, com outro nome, firmou contrato com uma terceira prefeitura entre 2018 e 2020. Operação foi deflagrada em oito municípios.
Docente teria constrangido adolescentes a tal ponto que elas não queriam mais entrar na sala de aula. Fonte contou ao portal Alto Vale Agora que as estudantes relataram olhares insinuantes e piadas sujas dele no ambiente escolar.
Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.