- A informação que gera opinião!

Justiça acata liminar e servidores de Salete vão receber reposição salarial

A ação ocorreu na tarde desta segunda-feira (09/08.).

Por Redação

9 de agosto de 2021

às 22:08

Compartilhe

 A Justiça de Santa Catarina, acatou na tarde desta segunda-feira, 09/08, um mandado de segurança impetrado pelo Município de Salete contra ato do Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE-SC). Por determinação do Tribunal de Contas a reposição salarial de 4,52% que foi concedida em janeiro de 2021, deveria ser retirada do pagamento dos servidores públicos municipais por força da LC 173/2020, a partir de 01 de julho de 2021.

 A prefeita Solange Schlichting (Chica), não mediu esforços para manter a reposição salarial dos servidores e solicitou ao Departamento Jurídico que atuasse para tentar reaver o direito de manter as reposições salariais dos servidores municipais. Perante a Comarca de Taió o recurso impetrado foi negado, assim também se fez recurso junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina, onde foi negado novamente.

 Diante disso, o município acatou a decisão do TCE/SC e TJSC e não pode pagar o valor da reposição salarial no mês de julho. A possibilidade de concessão de revisão geral anual aos servidores públicos durante a vigência da Lei Complementar n. 173/2020 foi analisada em nova investida no Mandado de Segurança de relatoria do Desembargador Vilson Fontana.

 A medida liminar suspende a decisão proferida nas duas consultas em relação ao Município de Salete e determina ao TCE/SC que se abstenha de adotar qualquer medida com o propósito de punir ou compelir o impetrante a tornar sem efeito e revogar a Lei que cancelou a reposição.

 Fonte: Jornalista Alexandre Salvador

Últimas notícias

Suspeita de fraude milionária com recursos federais envolve entidade de assistência social contratada por duas prefeituras catarinenses entre 2014 e 2016 e que, depois, com outro nome, firmou contrato com uma terceira prefeitura entre 2018 e 2020. Operação foi deflagrada em oito municípios.
Docente teria constrangido adolescentes a tal ponto que elas não queriam mais entrar na sala de aula. Fonte contou ao portal Alto Vale Agora que as estudantes relataram olhares insinuantes e piadas sujas dele no ambiente escolar.
Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.