- A informação que gera opinião!

Justiça manda desbloquear acesso de caminhões de lixo em autarquia da Capital

A medida visa permitir o integral restabelecimento dos serviços.

Por Redação

22 de setembro de 2021

às 09:40

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 O desembargador Sérgio Roberto Baasch Luz, em decisão prolatada nesta tarde (21/9), determinou o imediato desbloqueio do acesso ao Centro de Valorização de Resíduos (CVR) da Autarquia de Melhoramentos da Capital (Comcap), localizado no bairro Itacorubi, em Florianópolis.

 A decisão se deu após o município informar que o CVR teve seu acesso bloqueado diante da deflagração de movimento paredista, noticiado pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem) em sua rede social.

 Ao analisar o pleito, o desembargador observou que decisão liminar proferida no último dia 8 já havia determinado ao Sintrasem que não promovesse o bloqueio ou interdição do acesso a quaisquer das dependências de propriedade/posse do município de Florianópolis, seja por intermédio de alguma de suas secretarias, seja pela Comcap, sob pena de multa diária no valor de R$ 50 mil em caso de descumprimento.

 Conforme informado nos autos, nesta terça-feira houve o bloqueio total do acesso de veículos ao Centro de Valorização de Resíduos por meio de ato promovido pelo sindicato. Segundo apontou a Gerência de Coleta de Resíduos Sólidos, a conduta impossibilitou inclusive a execução dos serviços de coleta convencional, seletiva, de remoção, coleta porta a porta e infectante.

 “Sob qualquer enfoque que se queira olhar, mesmo sob o pretexto do direito de reivindicação de direitos trabalhistas, não se revela admissível o descumprimento da determinação judicial. Aliás, do mesmo modo que assegura o direito de greve, o art. 9º da CF também sujeita os responsáveis pelos abusos cometidos”, anotou Baasch Luz.

 Assim, além de determinar o imediato desbloqueio do local, o desembargador majorou a multa diária pelo descumprimento da ordem para R$ 100 mil, com extensão da responsabilidade patrimonial, de forma solidária, aos dirigentes do Sintrasem. A decisão ainda determina a expedição de ofícios ao Ministério Público e à Polícia Civil para que seja providenciada a abertura de inquérito policial com vistas a apurar a responsabilidade da entidade sindical pelo descumprimento da ordem judicial.

 Fonte: TJSC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

Liminar em ação ajuizada pelo MPSC por suposta fraude em concurso público proibia novos contratos.
A decisão é do 2º Juizado Especial Cível da comarca de Balneário Camboriú.
Ação da 1ª Promotoria de Justiça aponta suposta prática de homicídio triplamente qualificado: como feminicídio, pelo motivo torpe e por impossibilitar a defesa da vítima.