- A informação que gera opinião!

Mais furada que queijo suíço, ‘Rodovia da Morte’ já pode ser rebatizada de ‘Rodovia da Vergonha’

BR-470, uma das rodovias mais importantes de SC, se encontra em péssimo estado.

Por Redação

4 de agosto de 2021

às 16:20

Compartilhe

 “Tem que bater com um gato morto no lombo de quem acompanhou essa obra; até o gato miar!”, ironiza caminhoneiro ao criticar perigo de tombar em desníveis de trechos recuperados da BR-470.

 Desvie o veículo de uma ‘panela’ e sinta a pancada das rodas em uma ‘cratera’. Tenha um mínimo de falta de sorte… e lamente amortecedores estourados, pneus furados ou aros amassados.

 A precariedade de diversos trechos da BR-470 exige mais do que manobras de campeão e resistência dos veículos. Também requer fé! Uma boa reza nunca é demais antes de enfrentar o desafio de trafegar na rodovia sem sofrer prejuízos ou até acidentes.

 Horrível!

 Essa é a melhor definição para os trechos críticos de uma das mais importantes rodovias de Santa Catarina, que liga as regiões leste e oeste do estado.

 Por mais que se cuide, solavancos – de afrouxar o carro – podem ser sentidos na passagem pelos municípios de Rodeio, Ascurra e Apiúna, na região do Vale do Itajaí.

 A pista também é péssima, com buracos tomando conta, entre Lontras e o posto da Polícia Rodoviária Federal, em Rio do Sul, incluindo a ‘Curva do S’, na travessia urbana da cidade.

 De tanta buraqueira, a passagem pelo município de Trombudo Central também dá nos nervos.

 O alívio dura pouco. De Pouso Redondo ao trevo de Curitibanos, na Serra, dá uma melhorada. Porém, dali em diante não se sabe qual é o maior ou o menor buraco para desviar e, literalmente, é preciso se arrastar entre 10 e 15 quilômentros por hora, reclamam motoristas. 

Mas não é só!

 Trechos que ganharam nova camada de asfalto são outra ameaça. Entre a primeira ponte de Ibirama e o trevo de Lontras, por exemplo, motoristas denunciam que a pista recuperada tem inclinações fora do padrão em curvas, aparentando defeito grave na execução do projeto.

 Em alguns lugares, a ‘terceira faixa’ apresenta desníveis bem no meio da pista. Dependendo do tipo de caminhão e da carga transportada não dá para usá-la, pois o veículo pode tombar. “Tem que pegar um gato morto e dar no lombo do cara que acompanhou essa obra; até fazer o gato miar! Um engenheiro que teria que acompanhar uma obra e não enxerga um negócio desse deveria cassar o registro profissional dele!”, ironiza e desabafa um caminhoneiro (não autorizado a ser identificado) que todos os dias enfrenta a rodovia.

 E você? Já teve ou está tendo ‘experiências de rally’ em plena BR-470?

 Foto: Patrick Rodrigues

 Fonte: Da Redação

Últimas notícias

Foi um ‘tiro no pé’. Ao barrar os vereadores, líderes da ADAS colhem tempestade de críticas não apenas por desabonar autoridades públicas, mas também devido à suposta fome de lucros e por descaracterizar a verdadeira essência de um dos eventos mais tradicionais de Salete (SC).
Pela primeira vez na história, em meio à atual ‘pandemia’, especialistas, autoridades de saúde e políticos parecem agir em conluio para ignorar a poderosa proteção inata que ajudou a trazer a humanidade viva até o século 21. Afinal, por que eles escondem a existência da imunidade natural? A Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), por exemplo, foge das perguntas do portal Alto Vale Agora sobre o assunto. Mesmo que as autoridades corram do tema, nossa equipe revelará o mistério por trás dessa trama. Leia e confira!
Documento traz um apanhado das políticas governamentais nessa área.