- A informação que gera opinião!

Vacina, vacinação

“Não vacile, vacine!” é a campanha do Judiciário de SC pela vacinação de toda a sociedade

A orientação é para que todos tomem a vacina quando chegar a sua faixa etária.

Por Redação

28 de junho de 2021

às 13:20

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 Para enfatizar a importância e a necessidade da vacinação em toda a sociedade, o Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC) lançou a campanha “Não vacile, vacine!”. A diretora de Saúde do Judiciário de SC, médica Graciela de Oliveira Richter Schmidt, afirmou que já foi vacinada porque é a melhor maneira de proteger-se contra a pandemia da Covid-19. A orientação é para que todos tomem a vacina quando chegar a sua faixa etária. Na maioria das fabricantes, a vacinação humanizada é concluída somente com duas doses.

 A médica lembrou que os efeitos colaterais não são nem próximos dos problemas encontrados com a doença, que pode levar à morte. “A vacina é um dos maiores avanços da ciência médica contra as doenças virais. Juntos, unidos e vacinados e obedecendo aos protocolos de saúde, formamos uma barreira sanitária contra o coronavírus. Não vacile, vacine!”, anotou o presidente do PJSC, desembargador Ricardo Roesler.

 O vídeo institucional ainda conta com a participação da juíza de direito Cândida Inês Zoellner Brugnoli. A magistrada destacou que a vacinação é mais do que um ato de amor ao próximo. “Além de ser um ato de amor e de altruísmo, é uma questão de consciência coletiva. Pois se eu cuido de mim, eu cuido do outro”, disse na mensagem. Já o chefe da secretaria do Fórum Central da Capital, José Claudio Passamani, lembrou que pretende voltar a abraçar a família e a trabalhar sem medo, agora que foi vacinado.

 Busque informações na Secretaria de Saúde do município de sua residência para tomar a vacina na data correta. “Não vacile, vacine!” 

 Fonte: TJSC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

Valor inclui multas aplicadas em ação por ato de improbidade administrativa em virtude de fraude em dispensas de licitação.
Ela foi condenada pelo crime de homicídio qualificado, ocorrido em cidade do Vale do Itajaí.
Já com a segunda dose, são 1.271.313 de catarinenses, dos grupos prioritários