- A informação que gera opinião!

POLÊMICO! Prefeitos do Alto Vale fogem e outros respondem: Não vacinados deveriam ser confinados?

Com a chegada ao Brasil da variante ômicron, parte dos gestores públicos do Alto Vale teme que a 4ª onda de Covid-19 roube mais liberdades. É que cada novo alarde vem acompanhado da imposição de medidas restritivas cada vez mais draconianas pelo mundo afora. Enquanto isso, doses após doses também começam a gerar desconfiança em relação às vacinas. A ciência está perdendo credibilidade? A efetividade da inoculação – com a maioria das pessoas já vacinada - foi colocada em dúvida? Para forçar a adesão aos “reforços” vacinais, políticos seriam capazes de determinar restrições autoritárias que ameaçam direitos dos cidadãos como, por exemplo, confinar quem decidiu optar pelo direito de não se vacinar? Leia, descubra e surpreenda-se...

Por Redação

6 de dezembro de 2021

às 12:00

Compartilhe

 As pessoas não vacinadas merecem ser confinadas dentro da própria casa? Elas devem perder o direito de participar da vida em sociedade?

 O tema polêmico ganha força no mundo todo após o recrudescimento da pandemia na Europa.

 Por conta da variante ômicron, a Áustria foi o primeiro país a determinar o bloqueio nacional de não inoculados.

 Seguindo a medida, a Eslováquia rejeitou até mesmo o teste de coronavírus negativo.

 Na República Tcheca não vacinados foram banidos dos serviços considerados não essenciais.

 Já a Alemanha aproveitou a nova variante como pretexto para impor o confinamento a mais de 14 milhões de pessoas que optaram por não se vacinar, com vetos a locais de lazer e comércio.

 Meu corpo, minhas regras?

 A parcela de pessoas que discorda da política de inoculação obrigatória questiona: o slogan “meu corpo, minhas regras” só vale como argumento por aqueles que buscam legitimar o aborto?

 Para os críticos, não se pode ordenar o trancamento de pessoas que decidiram optar pelo direito de escolha em relação a vacinas incipientes, com tecnologias nunca usadas antes e, até aqui, no Brasil, não obrigatórias.

 Prisão doméstica, e lição assustadora da 2ª Guerra Mundial

 O ato transformaria as próprias residências em uma espécie de prisão perpétua e deixaria os não inoculados sem direito a participar da sociedade.

 Além disso, criaria uma subclasse de cidadãos, semelhante ao que ocorreu no Holocausto durante a Segunda Guerra Mundial.

 Os judeus, inicialmente, foram discriminados como raça inferior. Depois, passaram a ser perseguidos e exterminados por Hitler.

 Foi um assassinato em massa. A história registra que seis milhões de judeus acabaram mortos pelos nazistas – fuzilados ou em câmaras onde era introduzido o gás letal Zyklon B.

 Deveríamos aceitar doses sem fim?

 Uma das gigantes farmacêuticas promete desenvolver em 100 dias uma nova vacina para enfrentar a variante ômicron.

 Em tese, isso significa que logo virão a 4ª e 5ª doses, frustrando a expectativa daqueles que achavam que a campanha de vacinação iria terminar com o “reforço” após as duas aplicações iniciais.

 Aparentemente, estamos em uma pandemia sem fim.

 E, para muita gente, tudo isso já começa a soar como um plano intencional…

 Liberdade x Radicalismo: Quais prefeitos decretariam confinamento de não vacinados no Alto Vale?

 Diante dessa realidade, é justificável confinar pessoas não vacinadas por decreto?

 O portal Alto Vale Agora fez a pergunta a prefeitos da região.

 Enquanto parte dos gestores municipais fugiu da questão sem respondê-la, as explicações dadas pelos demais surpreende.

 Existem chefes do executivo que defendem medidas consideradas autoritárias por críticos como, por exemplo, confinar não vacinados e até multá-los.

 Por outro lado, há prefeitos preocupados que a pandemia está roubando as liberdades dos cidadãos.

 Alguns administradores de prefeituras ainda desconhecem que artigos científicos revisados por pares comprovaram a eficácia de medicamentos no combate à doença – assunto fortemente suprimido pelo negacionismo da mídia tradicional.

 Outros prefeitos já estão até desconfiados da eficácia das vacinas.

 Leia e comprove!

  • Agrolândia | José Constante (PP): “Seguiremos o protocolo/decreto do Estado de Santa Catarina.”
(Foto: Rodolfo Espínola / AgênciaAL)
  • Atalanta | Juarez Miguel Rodermel – “Sassá”  (MDB): “Em primeiro lugar, tem que ter um diagnóstico mais preciso sobre a eficácia e a segurança da vacina. Não adianta aplicar doses e mais doses. A despesa só vai aumentar, além de tirar a credibilidade da própria vacinação. Já existe desconfiança das pessoas sobre essas mutações que não terminam, o que está atrapalhando a campanha de imunização. Mas uma vez comprovada a eficácia da vacina, sou favorável a aumentar as restrições e tornar a vacinação obrigatória por lei para sairmos dessa situação. E se pudesse multar, ainda ia multar, se ficasse comprovado que o não vacinado contaminou alguém, para ele pagar as despesas do paciente. Só que para isso tem que ver se a vacina funciona de fato.”
(Foto: Divulgação)
  • Chapadão do Lageado | Abel da Silva (PP): A assessoria de imprensa informou que “o prefeito prefere não opinar sobre esse assunto no momento e falou que isso ficaria ao encargo da equipe da saúde”.
(Foto: Reprodução)
  • Ibirama | Adriano Poffo (MDB): “Desde o início da pandemia estamos cumprindo os decretos do Estado, conforme já decidiu o Judiciário. E assim vamos continuar. Não iremos tomar nenhuma medida mais restritiva do que o Estado.”
(Foto: Arquivo Pessoal / Redes Sociais)
  • Imbuia | Deny Scheidt (MDB): “Não, o risco maior é de quem não se vacinou.”
(Foto: Divulgação)
  • José Boiteux | Adair Antônio Stollmeier – “Pico” (PP): “Não me sinto preparado para responder, pois se eu disser sim, os técnicos podem dizer que não. Se eu disser sim, posso ser processado por privar o direito de ir e vir. Acho que esta pergunta não pode ser feita a um município e sim fazer uma pergunta macro regional, onde atinge vários municípios.”
(Foto: Redes Sociais)
  • Mirim Doce | Bernardo Peron – “Tio Bê” (PSL): “Embora defendamos a vacinação… não [decretaria o confinamento de não vacinados], porquê defendemos a liberdade prevista na Constituição.”
(Foto: Divulgação)
  • Petrolândia | Irone Duarte (PP): “Não sou favorável ao confinamento de pessoas não vacinadas. Eu não sou dono da verdade, mas me preocupo com a questão. Em vez de desaparecer com a vacinação, a pandemia parece que não tem fim, se a gente olha o que está acontecendo lá fora e o novo risco também por aqui. O problema é que as restrições cada vez mais duras vão acabar tirando mais e mais as liberdades das pessoas. E isso não pode acontecer, as pessoas têm o direito de ser livres.”
(Foto: Divulgação)
  • Presidente Getúlio | Nelson Virtuoso (MDB): “Em princípio, se fosse para tomar tal medida conversaria com os setores jurídico e de saúde. A situação é preocupante porque não se sabe até que ponto estamos sendo imunizados. Apesar de imaginar que talvez será normal a  população ter que tomar uma dose a cada ano, como acontece com a gripe, a ciência precisa dar uma resposta mais efetiva para o problema da pandemia, e sem novos lockdowns.”
(Foto: Divulgação)
  • Rio do Oeste | Arnildo Ferrari – “Diogo” (PP): “Nossa resposta é ‘Sim’. Pois a vacina está disponível para todos!”
(Foto: Redes Sociais)
  • Rio do Sul | José Thomé (PSD): De acordo com a assessoria de imprensa, o “prefeito considera precipitado se posicionar sobre o tema frente a uma redução significativa do número de novos casos, internações e óbitos em Rio do Sul e região nos últimos 3 meses. A vacinação está dando certo e precisa ser incentivada irrestritamente. É disso que ele prefere falar no momento.”
(Foto: Divulgação)
  • Trombudo Central | Hermelino Prada (Prefeito em exercício – PL): “Todas as epidemias foram, historicamente, controladas com as vacinas. Acredito piamente em vacina. É preciso seguir os princípios da ciência. O chamado ‘kit Covid’, que inclui a hidroxicloroquina e outros remédios, já foi mais que provado que não funciona. Se a vacinação fosse tornada obrigatória, decretaria o confinamento de não vacinados. Não adianta a pessoa ter a liberdade e terminar no caixão.”
(Foto: Divulgação)
  • Vidal Ramos | Nelson Back (PSD): “Vidal Ramos acatará a decisão de um possível Decreto Estadual.”
(Foto: Arquivo Pessoal / Redes Sociais)
  • Vitor Meireles | Bento Francisco Silvy (PP): “Não decretaria o confinamento. Acho opcional a vacinação.”
(Foto: Divulgação)

 Fugiram da pergunta ou não deram resposta

 O portal Alto Vale agora contatou prefeituras de todo o Alto Vale para saber quais prefeitos decretariam o confinamento de não vacinados como medida de combate à Covid-19.

 Abaixo, veja quem não participou da pesquisa deste tema relevante que, seguindo a realidade mundial, em breve, também deverá vir à tona por aqui.

  • Agronômica: César Cunha | Não respondeu.
(Foto: Redes Sociais)
  • Aurora: Alexsandro Kohl – “Xandão” | Não respondeu.
(Foto: Divulgação)
  • Braço do Trombudo: Nildo Melmested – “Colorido” (MDB) | Não respondeu.
(Foto: Internet)
  • Dona Emma: Nerci Barp (MDB) | Não respondeu.
(Foto: Internet)
  • Ituporanga: Gervásio José Maciel (PP) | Não respondeu.
(Foto: Divulgação)
  • Laurentino: Marcelo Tadeo Rocha (MDB) | Não respondeu.
(Foto: Redes Sociais)
  • Lontras: Marcionei Hillesheim (MDB) | Não respondeu.
(Foto: Redes Sociais)
  • Pouso Redondo: Oscar Gutz (PL) | Não respondeu.
(Foto: Redes Sociais)
  • Presidente Nereu: Celso Augusto Vieira (MDB) | Não respondeu.
(Foto: Internet)
  • Rio do Campo: Vidal Balak (PSD) | Não respondeu.
(Foto: Divulgação)
  • Salete: Solange Aparecida Bitencourt Schlichting – “Chica” (PL) | Não respondeu.
(Foto: Divulgação)
  • Santa Terezinha: Genir Antônio Junckes (MDB) | Não respondeu.
(Foto: Divulgação)
  • Taió: Horst Alexandre Purnhagen (MDB) | Atende veículos de comunicação “sob contrato”, segundo a assessoria de imprensa afirmou anteriormente.
(Foto: Divulgação)
  • Witmarsum: Cesar Panini (PSD) | Não respondeu.
(Foto: Internet)

 E você?

 Na sua opinião, os não vacinados deveriam ser confinados em suas residências ou isso seria uma afronta aos direitos dos cidadãos?

 Participe! Comente!

 LEIA MAIS > Tirania do ‘Passaporte da Vacina’ tem defensores entre prefeitos do Alto Vale

 Fonte: Redação

Últimas notícias

Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.
Campeã da gastança na atual legislatura, vereadora “Solange dos Doces” (PP) já vampirou, sozinha, R$ 71 mil dos cofres públicos; mas comilança de dinheiro dos contribuintes já infectou todo o legislativo municipal, maior devorador de recursos entre todas as Câmaras do Alto Vale.
Enquanto aponta o dedo para falha dos outros, José Thomé esqueceu de fazer suas próprias lições de casa em Rio do Sul (SC). Adivinha quem paga pelo descaso e pelas lambanças dos políticos na última cheia...