- A informação que gera opinião!

Udesc oferece quase 350 vagas em 35 cursos pelo Sisu do Enem 2020

As inscrições se estendem até sexta-feria (6).

Por Redação

4 de agosto de 2021

às 12:00

Compartilhe

 Os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020 poderão se inscrever gratuitamente, até sexta-feira, 6, para a segunda edição de 2021 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), realizado pelo Ministério da Educação (MEC).

 A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) tem 345 vagas em 35 graduações para o segundo semestre, com início previsto para 20 de setembro, em Balneário Camboriú, Chapecó, Florianópolis, Ibirama, Joinville, Lages, Laguna, Pinhalzinho e São Bento do Sul. Confira o edital e as vagas da Udesc.

 Das vagas de cada curso da Udesc, 20% delas estão destinadas para candidatos que tenham feito integralmente o ensino médio na rede pública e 10% são oferecidas para candidatos negros.

 Critérios e resultado

 Cada participante poderá escolher até duas opções de cursos de graduação no Sisu, conforme as notas de corte. Estará apto a se inscrever somente quem fez todas as provas do Enem 2020, não zerou na redação e tem certificado de conclusão do ensino médio para a matrícula na universidade.

 Durante o período de inscrições, a classificação parcial e a nota de corte do Sisu serão divulgadas diariamente para consulta no site do Sisu. Os candidatos classificados na primeira chamada deverão efetuar suas matrículas de acordo com datas, procedimentos e normas do edital publicado no site da Udesc.

 A universidade também divulgará em breve as datas e os procedimentos para participação na lista de espera dos cursos que não tiverem todas as vagas preenchidas na matrícula da primeira chamada.

 Mais informações

 Mais informações podem ser obtidas no site do MEC, na página da Udesc e com a Coordenadoria de Vestibulares e Concursos (Covest), pelo e-mail [email protected]

 Fonte: Secom/SC

Últimas notícias

Ao responsabilizar secretária Rozi Terezinha de Souza pela irregularidade envolvendo servidor que não bateu ponto no intervalo do almoço durante um ano, Eder Ceola foi enfático: “Ela tem que devolver esses R$ 7 mil [que o médico faturou a mais por mês] para o povo.” E acrescenta: “O que mais me deixa triste, é que dava pra tirar todas as filas da ressonância” com o dinheiro das horas extras pagas ao especialista de forma indevida.
Gestor público taioense terá que se empenhar bem mais para garantir a liberação de outros R$ 6 milhões necessários à construção do anexo do Hospital e Maternidade Dona Lisette e cumprir promessa de instalação de uma UTI no quinto andar do futuro bloco.
Para vergonha da sua gestão, Horst Alexandre Purnhagen (MDB) mantém o fracasso que vem do mandato anterior. O político ainda não conseguiu concluir uma simples ponte estaiada bem no coração da cidade. E o pior: um aditivo, recém-assinado, fez o custo do serviço aumentar R$ 470 mil.