- A informação que gera opinião!

Verba do MP bancou compra de drone de R$ 22 mil por prefeitura

Mesmo modelo de aparelho pode ser encontrado por menos da metade do preço na internet.

Por Redação

3 de agosto de 2021

às 11:02

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 O drone que custou R$ 22.055,00, conforme contrato de compra da prefeitura de Rio do Sul (SC) datado de janeiro deste ano, foi adquirido com recurso do Ministério Público de Santa Catarina. A informação, por e-mail, foi dada pela assessoria de imprensa, após a veiculação do assunto, durante o final de semana passado, aqui, no portal Alto Vale Agora.

 A nota não esclarece nada sobre o valor pago pelo drone, também conhecido como Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT). Porém, detalha que o modelo é o ‘MAVIC 2 PRO’, dado que não consta no contrato de compra publicado no Portal da Transparência da prefeitura.

 Em uma rápida pesquisa na internet, pode-se encontrar o mesmo modelo ofertado até por menos da metade do preço gasto pela prefeitura, ou seja, por R$ 10.498,00; e em até 12 vezes. De tantos recursos que tem… parece quase um robô! E ainda vem com uma dezena de itens inclusos, além de serviço pós-venda.

 Com a diferença do preço pago no contrato e o encontrado na internet – R$ 11.557,00 -, daria para comprar mais 11 drones do modelo ‘L900 Pro’, anunciado em uma loja virtual por R$ 999,00; e sobrariam R$ 568,00. Apesar de bem mais em conta, o ‘L900 Pro’ já vem equipado com ‘câmera 4K, full hd duas câmeras, com GPS, 5G, Wi-fi, transmissão em tempo real, motores brushless, alcance remoto de 1,2 Km, drone profissional com case’, diz o anúncio.

 A nota da prefeitura acrescenta que a transferência do recurso por parte da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Rio do Sul “foi exclusiva para aquisição do equipamento que ajuda em fiscalizações de crimes ambientais” do Departamento de Meio Ambiente e atende dever constitucional de proteção dos recursos naturais. Também diz: “A compra do drone, bem como de diversos equipamentos tecnológicos, foram possíveis através de um recurso repassado pela 4ª Promotoria…”, porém, o contrato, no Portal da Transparência, cita apenas compra de “drone”.

 A partir das informações publicadas e, agora, repassadas por e-mail, fica a dúvida sobre a aparente economia que poderia ter sido feita na compra do drone em questão.

 Você acha que fato desta natureza carece de mais transparência e expõe a prefeitura e até mesmo o Ministério Público?

 Fonte: Da Redação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

“Há fundadas razões para que tenha ocorrido direcionamento no procedimento licitatório”, “superfaturamento” e custos quase triplicados em contrato de R$ 1,36 milhão, alerta representação encaminhada por Eder Ceola.
Dirigindo no conforto da ‘nave’ paga pelo povo, agora, Cesar Panini, talvez, poderá enxergar melhor – através dos grandes vidros do luxuoso SUV zero km - que a crise enfrentada pelos trabalhadores só cresce na pandemia.
Imagem que viraliza na internet mostra prefeito e seis vereadores em banquetaço - aglomerados, sem máscara, sorridentes e com suas barrigas salientes. Grupo custa mais de R$ 2,5 milhões aos cofres públicos durante mandato.