- A informação que gera opinião!

Verba federal é usada para treinar combate ao agronegócio

A UFSC disse repudiar veementemente as narrativas construídas de forma midiática e enganadora.

Por Redação

11 de julho de 2021

às 21:11

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

UFSC utiliza dinheiro público para realizar um “curso” de “enfrentamento ao agronegócio”

A Universidade Federal da Santa Catarina utiliza dinheiro dos pagadores de impostos para realizar um “curso” para promover o “enfrentamento ao agronegócio”, setor responsável pela maioria dos resultados positivos da economia do Brasil, especialmente durante a grave crise provocada pela pandemia. O “curso” é uma coletânea de palestras de integrantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) dentro de um grupo de estudo sob coordenação de membros da UFSC para a “formação de professores”.

Segundo o jornalista, Claudio Humberto, do Diário do Poder, em 2020, o agronegócio respondeu por 70% das exportações de Santa Catarina. Faturou mais de R$28,5 bilhões, diz o Ministério da Economia. Sobre o curso anti-agronegócio, o Ministério da Agricultura se limitou a dizer que não cabe à pasta “avaliar atividades acadêmicas”.

Membro da Frente Parlamentar da Agricultura, a deputada Carol De Toni informou que vai pedir providências imediatas do Ministério da Educação. “Não vamos permitir nenhuma malversação de dinheiro público em universidades federais em prol de grupelhos ideológicos”, disse De Toni.

UFSC emite nota oficial sobre Curso de Extensão

A Administração Central da UFSC emitiu, uma Nota Oficial, na qual esclarece acerca da atuação da Universidade no desenvolvimento agrícola de Santa Catarina e do Brasil, e repudia críticas ao curso de extensão “Reforma Agrária Popular, Agroecologia e Educação do Campo: alimentação e educação no enfrentamento ao agronegócio e às pandemias”.

Confira, abaixo, a nota na íntegra.

Nota Oficial

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) vem a público repudiar veementemente as narrativas construídas de forma midiática e enganadora, acerca de um de seus cursos de extensão, promovido pela Licenciatura e Educação do Campo, do Centro de Ciências da Educação (CED). 

A UFSC valoriza a pluralidade de ideias, o debate e a construção coletiva da realidade, eixos que estão na gênese da universidade pública, e que há mais de 60 anos fazem parte da atuação histórica desta instituição. Sustentada nos pilares do Ensino, Pesquisa e Extensão, a UFSC não se resume a um ou outro projeto. Se formos considerar a atuação da Universidade apenas no que diz respeito à produção catarinense, temos cursos, projetos de pesquisa e extensão em diversas áreas, com destaque ao Centro de Ciências Agrárias (CCA) e Centro de Ciências Rurais (CCR), no Campus de Curitibanos. 

Só nestes dois centros, na Extensão, a UFSC possui 208 projetos em andamento, que fortalecem o setor agrícola e agropecuário de Santa Catarina e do Brasil, dentre os quais podemos citar:

  • Produção de touros Bradford com foco na bovinocultura de corte;
  • Análise de alimentos para nutrição animal;
  • Consultorias em formulação de ração animal;
  • Avaliação de insumos agropecuários;
  • Suporte técnico-científico para empresas de base bionanotecnológica;
  • Reprodução animal com foco no aumento da produtividade catarinense;
  • Apoio à cadeia de produção de moluscos em parceria com as comunidades pesqueiras;
  • Estudos em nutrição animal com foco em ruminantes;
  • Apoio técnico ao setor de produção e transformação de alimentos;
  • Atendimento clínico, ortopédico e cirúrgico em bovinos e equinos;
  • Ações focadas em controle de doenças e pragas agrícolas;
  • Assistência técnica em vitivinicultura;
  • Cursos em hidroponia e hortifrutícolas;
  • Manejo sanitário e reprodutivo de cavalos, com vistas à preservação de espécies típicas de SC;
  • Manejo de solos com vistas à manutenção e aumento de produtividade;
  • Manejo e biossegurança dos pomares catarinenses, dentre tantos outros.

É ofensivo e inaceitável o desrespeito com o qual a UFSC vem sendo retratada.

A Universidade Federal de Santa Catarina é uma das instituições públicas que mais contribui para modernizar e impulsionar as grandes culturas catarinenses – com tecnologia, profissionais altamente qualificados e com seres humanos capazes de discernir o que é Ciência do que é opinião e desinformação.

Nossas parcerias com instituições como Epagri, Embrapa, dentre tantas outras são notórias e têm gerado ótimos resultados, inclusive com destaque nacional e internacional. 

A universidade, como a própria denominação sugere, constitui-se como universo plural, servindo como ambiente para o exercício livre e democrático da pesquisa, do debate e da reflexão em diversas áreas de estudos e pesquisas. Resumir o trabalho de milhares de profissionais, graduandos e pós-graduandos a linhas ideológicas a ou b serve tão somente para reforçar a danosa polarização que tem tomado conta de nosso debate público, a qual tem mais se preocupado em criar cisões do que pontes entre os saberes, pessoas e entidades.

Esta, definitivamente, não é a postura da Universidade Federal de Santa Catarina, que seguirá desempenhando o seu papel estratégico de cooperação e de diálogo junto à população catarinense e brasileira.

Administração Central
Universidade Federal de Santa Catarina

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

As indicações podem ser feitas até o dia 13 de agosto, os vencedores serão conhecidos no dia 2 de setembro.
O paratleta ibiramense, Nelson Weinrich Jr., se deu muito bem e conquistou uma medalha de outro nos 100 metros livre.