- A informação que gera opinião!

Vereador do Podemos anuncia recurso de R$ 100 mil

Emenda de bancada tem como destino o Hospital e Maternidade Dona Lisette.

Por Albanir Buzzi Júnior

8 de julho de 2021

às 13:00

Compartilhe

 O vereador Eder Ceola anunciou a confirmação de recurso de R$ 100 mil para Taió. O valor é uma emenda federal intermediada ao Município, através do deputado federal Rodrigo Coelho (PSB). O recurso tem como destino a área da saúde, está direcionado à manutenção e custeio do Hospital e Maternidade Dona Lisette.

 A emenda parlamentar foi um pedido feito ainda no mês de fevereiro, durante viagem feita à Brasília. As tratativas iniciaram após um encontro ocorrido na sala de espera da sede do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, onde houve uma conversa informal entre o vereador e o deputado federal.

 O pedido por recursos foi oficializado no gabinete do deputado, localizado no anexo IV da Câmara Federal. “Agradeço ao deputado Rodrigo Coelho que após uma conversa que tivemos em Brasília, mandou esse recurso de R$ 100 mil para o nosso hospital”, declarou Ceola.

 Fonte: Câmara de Vereadores de Taió

Últimas notícias

Ao responsabilizar secretária Rozi Terezinha de Souza pela irregularidade envolvendo servidor que não bateu ponto no intervalo do almoço durante um ano, Eder Ceola foi enfático: “Ela tem que devolver esses R$ 7 mil [que o médico faturou a mais por mês] para o povo.” E acrescenta: “O que mais me deixa triste, é que dava pra tirar todas as filas da ressonância” com o dinheiro das horas extras pagas ao especialista de forma indevida.
Gestor público taioense terá que se empenhar bem mais para garantir a liberação de outros R$ 6 milhões necessários à construção do anexo do Hospital e Maternidade Dona Lisette e cumprir promessa de instalação de uma UTI no quinto andar do futuro bloco.
Para vergonha da sua gestão, Horst Alexandre Purnhagen (MDB) mantém o fracasso que vem do mandato anterior. O político ainda não conseguiu concluir uma simples ponte estaiada bem no coração da cidade. E o pior: um aditivo, recém-assinado, fez o custo do serviço aumentar R$ 470 mil.