- A informação que gera opinião!

Vítimas e testemunhas vão depor em 1ª audiência sobre chacina de Saudades

Com exceção da equipe de trabalho e dos depoentes, ninguém terá autorização para permanecer na audiência, devido ao sigilo do processo.

Por Redação

4 de agosto de 2021

às 10:20

Compartilhe

 Um dia após completar três meses da chacina na creche de Saudades, no Oeste, a Justiça dará início a oitivas de testemunhas e vítimas. Nesta quinta-feira (5), a partir de 13h30, seis vítimas e nove testemunhas contarão o que viram e viveram no dia do crime. Com exceção da equipe de trabalho e dos depoentes, ninguém terá autorização para permanecer na audiência, nem comunidade nem imprensa, devido ao sigilo do processo.

 Os trabalhos acontecerão na sala passiva do fórum da comarca de Pinhalzinho, onde tramita o processo. Ali estarão apenas os depoentes, uma assessora jurídica e um estagiário para operar os equipamentos de gravação das oitivas em vídeo e áudio. Esses arquivos serão anexados ao processo. Não há tempo-limite estipulado para cada fala.

 O juiz Caio Lemgruber Taborda presidirá a audiência online, de seu gabinete no fórum. O promotor de justiça também participará pela internet, de sua sala no Ministério Público. Da mesma forma será a participação do advogado de defesa, que estará em seu escritório. Todos estarão em vídeo no aparelho de televisão instalado na sala para interação imediata com o entrevistado. A organização diferenciada se deve em virtude das normas de segurança sanitária devido à pandemia de Covid-19.

 Outra audiência será realizada nos mesmos moldes no próximo dia 24. Após o Poder Judiciário ouvir outras 14 testemunhas de acusação, será a vez do depoimento do agressor. Ele falará por videoconferência da sala passiva do Presídio Regional de Chapecó, onde está recolhido desde que recebeu alta hospitalar, oito dias após o crime. A oitiva será online por segurança e por causa da pandemia.

 Na manhã do dia 4 de maio deste ano, o acusado ingressou em uma creche no município de Saudades e, com uma espécie de espada, golpeou fatalmente duas professoras e três bebês. Outra criança, também com menos de dois anos, foi socorrida e se recupera junto aos familiares.

 Fonte: TJSC

Últimas notícias

Suspeita de fraude milionária com recursos federais envolve entidade de assistência social contratada por duas prefeituras catarinenses entre 2014 e 2016 e que, depois, com outro nome, firmou contrato com uma terceira prefeitura entre 2018 e 2020. Operação foi deflagrada em oito municípios.
Docente teria constrangido adolescentes a tal ponto que elas não queriam mais entrar na sala de aula. Fonte contou ao portal Alto Vale Agora que as estudantes relataram olhares insinuantes e piadas sujas dele no ambiente escolar.
Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.